segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Livro: Histórias da África


Vou compartilhar mais uma obra-prima de contos africanos, ‘’Histórias da África’’ de Gcina Mhlophe lançado pela editora Paulinas.

São 11 contos africanos: ‘’Mazanendaba’’, ‘’Jabuli e o Leão’’, ‘’ O presente do Leopaldo’’, ‘’Nanana bo Sele Sele’’, entre belos contos que são lindamente ilustrados.

A autora diz que sua avó foi a primeira pessoa a contar histórias para ela despertando assim sua imaginação, já que fazia acreditar nos crocodilos e tartarugas voadoras.

Os contos são fontes tradicionais, segundo Gcina, que são transmitidos oralmente de geração em geração desde o começo do mundo.

Ela menciona o gosto de compartilhar histórias, principalmente olhando no rosto do outro, pois a emoção de ver o rosto do outro sendo iluminado pelas histórias é única.

Qual vou compartilhar? Bem, o ‘‘Presente do Leopardo’’, que foi ilustrado por Kalle Becker. A história fala de um tempo onde não existia doença e, por isso, não havia cura.

As pessoas demoravam em envelhecer, pois, a vida passava bem devagar e elas brincavam muito. Naquele tempo os humanos e animais eram amigos.As festas eram o ponto de encontro de todos. Dia muito esperado, até porque existia um homem que em todas as festas dançava para eles. Seu nome era ‘’Mthokozisi’’.

Ele viajava muito e aprendia muitas danças. Gostava de receber as pessoas em casa e mostrar o que aprendeu e a cada apresentação as pessoas ficavam cada vez mais encantadas por ele.

Só que... Um dia ao retornar de uma viagem, ele chegou doente. As dores no peito eram tão fortes que o corpo todo doía e o fazia gemer.Ninguém sabia o que fazer nem a sua família, pois eles nunca ficaram doentes. Então, não havia cura. Com as dores insuportáveis ele resolveu tomar banho no rio.

Os amigos e familiares o seguiram e jogavam-se no rio para tentar, entre umas massagens nos pés, costa e peito, tentar amenizar as dores terríveis. Mas, o pior aconteceu e todos caíram doentes, assim como todas as mulheres e crianças que se banharam no rio e o povo começou a gemer tão alto que a coruja não conseguindo mais dormir foi até lá.

Ao descobrir a causa, ela voou bem alto e só retornou com a notícia de que ‘’Filani’’, o velho leopardo, foi avisado e estaria a caminho para tentar salvar a todos.

Pois bem, o leopardo salvou todos da aldeia e acreditem que foi um ato heroico. Desde aquela época, as pessoas procuram remédios para curar as dores e as doenças.

Super dica de leitura para ser lido na íntegra!

Bjs,
Alda de Cássia

*Imagem: Livraria Cultura