quinta-feira, 30 de abril de 2020

Miniconto terapêutico: O cabelo

Obaaaaaaaaaa, hoje é dia de postar mais um dos meus contos.

Vamos lá!

Olhando o reflexo no espelho, Regina ficou invocada com um fio de cabelo. De longe, ela avistou aquele fio! Como? Como poderia não ter sido pintado, se ontem ela passou horas no salão pintando, cortando, fazendo chapinha !!

_  Meu Deusssssss !!!! O que é este fio aqui? Nãoooo! Não acredito !!. Pelos Anjos, pelos Arcanjos, por todos os Santos ...Este fio ficou ainda louro. Era para ter ficado na cor preta ! Nãooo! Tirar jamais. Ele vai ter que mudar de cor. Eu sei o que vou fazer... E é para agoraaaa... ! (disse irritada)

Em direção, ao supermercado Regina saiu de casa já determinada a terminar com a rebeldia daquele único, mas subversivo cabelo louro.

Nas prateleiras reservadas a produtos de beleza, procura a tinta para pintá-lo. Pega caixas, lê rótulos e cheira os produtos. Pegou uma caixa que dizia: "...Amônia é o seu problema? ...Aqui, ela não é mais. Produto que não deixa cheiro, não deixa o seu cabelo sem vida e maltratado. Você vai sair de casa com cabelos mais sedosos e lisos ...”. No final da mensagem: “... 90% garantido contra quedas”.

-  E este! (pulou eufórica)

Pegou o produto, pagou-o e saiu para casa feliz, como se houvesse ganho o prêmio da loteria do mês.

Na pia começou a preparar o produto. Mexe daqui ! Mistura ali! O cheiro era dos piores. Um gambá até confundiria com alguém da sua família! Ok! Foi traída pela falsa promessa do fabricante. Mas, já havia comprado e agora não dava para voltar atrás.

Colocou o produto no cabelo. Passou o pente. Deixou-o 10 minutos para relaxar como estava escrito na embalagem e  seguiu até o chuveiro para retirar agora o produto....

_ Meu Deusssss...!

Os vizinhos começaram a chegar até a sua porta! O grito foi tão alto que eles temeram pela vida de Regina que morava sozinha há cerca de 4 meses quando saiu de sua terra natal e veio morar em Belém do Pará .

De repente, Regina aparece triste enrolada em uma toalha...careca! E com aquele fio de cabelo! Único, em sua cabeça...

Todo o cabelo caiu. Mas o fio ficou! Já em seu quarto,  abraçada ao travesseiro de coração que ganhou de sua mãe, ela compreendeu que não deveria ter pintado o seu cabelo novamente porque isso o enfraqueceu devido o excesso de produto químico.

 Mas, o que realmente ela aprendeu foi que não se pode querer apenas mudar algo que deseja sem levar em conta se este algo pode ser mudado neste momento. É  necessário amigos, permitir a mudança no seu tempo certo. Tempo de plantar. Tempo de colher e tempo de esperar ...Vamos então esperar o nosso tempo. O tempo certo vai chegar ...ele sempre chega!!

Alda de Cássia 

Arte:Vitória de Cássia 

quarta-feira, 29 de abril de 2020

Criatividade em 3D


Resgatando matérias relevantes:
Fique em casa
Conhecimento nunca é demais.


Voltei e trago um pouco de mim, neste bate-papo de hoje. Vou contar um segredinho para você. Eu sou apaixonada por livros, como minha "mana abençoada" também é. Além, é claro, de artes gráficas e tudo que envolve comunicação visual e marketing. Por isso, gostaria de compartilhar aqui, no blog, um artigo muito interessante sobre um jovem de 17 anos, mineiro, que usa sua criatividade para criar desenhos em "3D".

Ele foi destaque no programa "Encontro" da Rede Globo. Um verdadeiro talento !!! Encontrei outros desenhistas que também utilizam esta técnica e também são talentosos, mas o que impressionou-me foi a simplicidade dele (João Carvalho), ao  explicar como realiza seus desenhos. Percebi, na entrevista, um jovem orgulhoso de suas obras, mas não "gabola".





Um talento nato, que brilha com luz própria sem ofuscar os demais. Vou postar abaixo, o vídeo da entrevista dele que foi ao ar no programa "Encontro", da apresentadora Fátima Bernardes. Vale a pena compartilhar mais este talento aqui em nosso blog.

Vitória de Cássia 

terça-feira, 28 de abril de 2020

Dica de filme: Papa Francisco


Recentemente, o mundo assistiu pela televisão a visita do Papa Francisco à Jordânia e à Palestina, uma região com conflitos internos, onde o papa pediu respeito à liberdade religiosa no Oriente Médio.

Lá a minoria da população é católica.E, como sempre, o ‘’Papa de Todos’’ quebrou protocolos e foi acolhido com carinho pelo povo.

Segundo o Portal ‘’O Globo’’ o Papa deu a comunhão a 1.4000 crianças, numa missa com cânticos árabes no Estádio Nacional de Amã.

Por isso, hoje quero falar do filme que assisti sobre o Papa intitulado:’’Papa Francisco - O Papa de Todos’’, um filme que fala de sua trajetória de seminarista a cardeal e de cardeal a papa.

Um belo filme, rico de dados sobre a vida, deste papa que a meu ver, é o símbolo da humildade e do amor ao próximo.

Um papa que provoca uma profunda reforma na Igreja Católica e um revolucionário de Deus. É um homem, com todo respeito ao Pontífice, que evangeliza ao falar, e fala,evangelizando.

Copio agora um trecho de sua pregação, no dia da "Festa de Corpus Christi", na Catedral Metropolitana de Buenos Aires, em 2012:
‘’ Quem não caminha, não deixa pegadas. Não serve para nada. Na vida, a gente tem que caminhar como caminhou Jesus, deixando pegadas que marquem a história. Pegadas que deixam descendência’’.

Jorge Mario Bergoglio, o Papa Francisco, é filho de imigrantes Italianos, que fugiram da fome e das guerras.Ele é o quinto filho do casal Mario Ergoglio e Regina Maria.

Aos 17 anos, em 20 de Setembro de 1953, após confessar, Deus fala com ele e ele decide ser missionário. Em 1957, ele ingressa no Seminário de Villa Devoto em Buenos Aires.

Após 56 anos de sacerdócio, ele é eleito Papa, agora com 76 anos de idade. Segundo alguns amigos, ele já pensava em se aposentar, mas resolveu aceitar a indicação ao mais importante cargo representativo no Vaticano.

No filme, ele responde sobre a sua missão com a seguinte frase: ’’O verdadeiro poder é o serviço... ’’

Alda de Cássia

segunda-feira, 27 de abril de 2020

Dica de leitura:Passageira Clandestina



Esse livro faz parte do nosso ‘’Túnel do tempo’’. Qual? "Passageira Clandestina"  de Maria Heloisa Penteado, com ilustrações de Luiz Maia, que foi lançado pela editora Ática.

Não me lembrava desse livro! Foi a nossa mãe que veio até o meu quarto e o mostrou. Disse que era meu e da mana quando éramos bem pequenas. Sim, esse livro foi comprado em 1992, ou seja, já com seus 26 anos parece que o tempo foi ‘’bom para ele’’.Mais uma relíquia da nossa infância!

É claro que reli cada página e prestei atenção em cada ilustração. Aíiiiiiii...Que saudade daquele tempo em que uma lagartixa viaja escondida em um trem e eu e a mana acreditávamos que era possível.

Qual criança não chega a acreditar  ser possível? Deve ser por isso, que gostávamos muito de aventura. Ops! Gostamos até porque, quando ‘’pinta’’ um convite para um passeio de barco...Por impulso aceitamos!

Bem, a lagartixa vai fazer uma viagem ‘’bem legal’’ dentro de um trem e acabou por mostrar que, quando desejamos fazer algo, nem a idade, nem o tamanho pode nos impedir de mostrar nossa capacidade e potencialidade.

Alda de Cássia
A história está na integra e com reflexão terapêutica: no canal YouTube:Égua do livro bom!
Link:  https://youtu.be/uJ-DFFxBk6o   (Acredite em você)    

domingo, 26 de abril de 2020

Dica de leitura: O menino e o Plátano

Que belo livro é este! Riquíssimo de ‘’amor ao próximo’’. Este livro, ’’O menino e o Plátano’’, é da escritora Rosa Walda Abreu, com ilustração de Sérgio Ramos, que foi lançado pela editora Paulinas.

A autora conta a história de um pai, que plantou uma ‘’muda de plátano’’ em seu jardim quando seu filho nasceu na primavera. Era a sua forma de dar ao filho a oportunidade de crescer junto com a árvore.

O tempo foi passando e o menino cuidava do seu ‘’plátano’’. Brincava sempre ao seu lado. Gostava de admirar o seu crescimento e todos os dias o regava.

Só que, o menino percebia que as folhas secas caiam e isso o incomodava. Mesmo secas as folhas eram belas. De várias formas e cores. Que desperdício jogar fora.

O que fazer com elas? Ele então resolveu ‘’dar vidas as folhas’’. Como faria? Lembrou que passava todos os dias em frente a uma casa, que cuidava de idosos. Foi então que a grande ideia veio.

Ficou curiosa (o)?
Desculpe foi a minha intenção!!(rsrs)
Vale a pena ler na integra!
Falei dele no canal YouTube: Égua do livro bom! 
Link: https://youtu.be/FTXvAMi9pUc

Alda de Cássia 

sábado, 25 de abril de 2020

Dica de leitura: A missão dos Guerreiros Amaluz


Que bela fábula que fala sobre a busca da felicidade. O livro é do escritor Alexandre Wieth e foi lançado pela editora Impresa Livre e, segundo o autor, é uma história que todos os pais deveriam ensinar para os seus filhos.

Sempre que posso, quando estou com amigos ou pacientes, procuro refletir que felicidade não é objetivo que devemos almejar e sim consequência. E até dou exemplo de que o dinheiro deve ser conseqüência do trabalho e não prioridade de um profissional comprometido com a sua missão.

Ao ler este livro deste psicólogo, concordei ‘’de cara’’(rs).Vejo muitas pessoas ‘’fazendo de tudo’’ para serem felizes e esquecem de viver e só sobreviver nesta busca  desequilibrada.

Vamos ao livro!Conta a história de 2 índios, ‘’Cauã’’ e ‘’Ikhi’’, que vão em busca do ‘’Lírio Sagrado’’.Eles moram em uma tribo chamada ‘’Amaluz’’, que fica atrás da região sul dos Andes.

Na tribo quando os jovens completavam 18 anos de idade , eles tinham que passar no rito da passagem,ou seja, da infância para a adolescência.

Lembrei que li certa vez que, o motivo de uma jovem em seus 15 anos de idade ser ‘’passada’’ das mãos do pai para o tio, primos e amigos, possui a simbologia de que esta jovem deixa de ser criança e passa a ser adolescente e que neste momento o pai a ‘’entrega’’ para a sociedade como demonstração que a fase da ‘’passagem’’ foi feita com êxito.

Ops! Vamos retornar(rs)

Pois é, os 2 índios vão ter que ir em busca do ‘’Lírio Sagrado’’ e o pajé Lago Eterno é o responsável em orientar estes jovens na passagem. Sim, sim. Eles foram preparados para enfrentar grandes perigos quando saíssem da tribo, mas desta fez eles teriam que colocar em prática os ensinamentos recebidos desde que nasceram.

O pajé, ao se despedir deles, disse que passariam por grandes desafios e que não se esquecessem de 7 principais,entre tantos.Cito 3 aqui:

  ‘-’ Seu objetivo não pode ser maior do que sua humildade’’
  ‘-’Sua revolta não pode ser maior do que sua gratidão’’
  ‘-’Sua impulsividade não pode ser maior do que sua serenidade’’

O que aconteceu?Uma aventura carregada de grandes ensinamentos, onde Cauã e Ikhi vão agir ora por impulso e ora por sabedoria, cada um revelando o seu ‘’jeito’’ de resolver seus problemas e revelando sua ‘’personalidade’’.

Vale a pena ler na íntegra!

Alda de Cássia 

sexta-feira, 24 de abril de 2020

Vídeo no canal ''Égua do livro bom!'' : O abandono


Novo vídeo no canal!!!

Autora fala sobre a dificuldade de elabora a morte de um ente querido, principalmente por uma criança!







                                                 https://youtu.be/tRBIgXKWTQg

Alda e Vitoria 
Edição:Vitória de Cássia

quarta-feira, 22 de abril de 2020

Os melhores guerreiros contra o COVID-19



De uma hora para a outra você se depara com choros, medos e desesperos. Antes... Era só uma febre, uma tosse ou uma pequena falta de ar. Hoje... Esses três sintomas podem ser a indicação de possível COVID-19.

Antes...O sorriso era ‘’a porta aberta’’ para a aproximação, e hoje... Escondido por trás de uma máscara protege de uma possível contaminação por Coronavírus. Ontem...Os abraços simbolizavam o carinho, a afeição pelo outro, e hoje...Cotovelos, um aceno de mão são sinais de proteção.

Quando assisti uma  entrevista de alguns profissionais de saúde para uma rede de emissora sobre o preconceito sofrido por trabalharem em hospitais, lembrei que antes da pandemia eu chegava ao hospital como alguém que chega ao seu lugar de trabalho.

Quando a pandemia chegou ao Brasil, e as homenagens ‘’aplausos nas janelas’’ eram constantes, eu recebia ‘’olhares de vamos ficar em casa por vocês.Cuidem de quem precisa!’’.

Após a contaminação de profissionais de saúde e mortes, senti algumas vezes ‘’afastamento’’ ou olhares‘’ de ''não se aproxime. Não quero ser contaminado’’...Lamentável a atitude de algumas pessoas!

Confesso que não está sendo fácil receber noticias de colegas e amigos de trabalho que estão perdendo familiares para o COVID-19 e de amigos sendo afastados por confirmação por ele ou sintomas iniciais.

Recebo mensagens, fakes, áudios, fotos e vídeos mostrando o caos da saúde pública e privada pelo mundo. Vejo covas sendo abertas, falta de leitos, falta de profissionais de saúde, mas vejo solidariedade ao próximo, mensagens de conforto e esperança em frases: ‘’Isso vai passar!’’ e ‘’ Vamos vencer em nome de Jesus!’’ e '' Estamos juntos!''.

Enfim, os profissionais da ‘’linha de frente’’ são os melhores guerreiros para vencer a guerra contra um vírus devastador de vidas. Alguns, infelizmente, estão morrendo no campo de batalha. Outros saem doentes e outros resistem por horas sem comer e dormir por amor a sua missão.

Sim! Pai amado, eles perderam algumas batalhas, mas a guerra não será perdida por um único motivo: AMOR AO PRÓXIMO‘’ é o que move os profissionais de saúde. São aqueles que de alguma forma estendem as suas mãos para ajudar o próximo e que não são só profissionais de saúde, mas são teus filhos amados, o motivo é: ‘AMOR AO PRÓXIMO....AMOR, AMOR, AMOR e AMOR AO PRÓXIMO.

Senhor!... Não vamos desistir da luta. Vamos vencer a batalha todos juntos em cada canto do Brasil em cada canto do mundo. Ainda teremos perdas doloridas, mas teremos vitórias inimagináveis, pois a nossa fé e o nosso amor que derrama de Ti nos protege e nos faz agir para o cumprimento de nossa missão... Toda honra e toda glória em Teu nome vamos vencer!!!!

Alda de Cássia

*Imagem: Universidade Ibirapuera 

terça-feira, 21 de abril de 2020

Dica de leitura: Contando histórias em versos

Bem, o que falar sobre o livro? Vamos lá! Para quem deseja conhecer o que existe em comum entre um rap e uma cantiga de rodas, ou entre Poemas de Homero e uma canção de MPB, aqui está o livro!

Neste livro: ‘’Cantando histórias em versos – Poesia e Romanceiro popular no Brasil’’, do escritor Braulio Tavares e que foi lançado pela editora 34, descobri também o que é um "martelo agalopado"’. O que é?

É um tipo de métrica usada por repentistas nordestinos, ou seja, pelos contadores nordestinos. Como assim? São ‘’três pequenos blocos em que silabas fracas preparam a chegada de uma sílaba forte’’.

Ficou confuso ainda?Bem, o escritor deu um belo exemplo: di-di-DUM, di-di-DUM, di-di-di-DUM.E agora deu para entender? Pois é, eu também desconhecia, mas agora eu e você já estamos bem informados(rs).

Confesso,que já arrisquei fazer pequenos versos, porém como sempre digo não é a ‘’minha praia’’ e sim escrever contos, pois a cada dia fico apaixonada pela criação de personagens, cenários e contexto abordados.

Epaaaaaaaaaa...Já fugi de novo do assunto! Aí,aí ..Mas, vamos retornar em grande estilo ok?

Bem, arrisquei e pensei que eram ‘’versos brancos’’ minha inspiração, mas não eram!! O que são versos brancos? Segundo o autor é ‘’um efeito ainda mais sutil do que a rima toante’’. Rima toante?

E agora? Ok. ’’Não precisa rimar, mas não pode ser colocado tudo que vem à cabeça’’, ou seja, não era o que fazia, mas descobrir que eram ‘’versos livres’’, porque os versos livres  podem ser do tamanho que o poeta bem entender. Longo ou curto!

Ah! O livro fala em cultura oral, literatura de cordel nordestina, romance antigo e romance moderno, entre outros.

Enfim, é um livro bem interessante e que me despertou outro ‘’universo’’, que agora vou querer apreciar mais vezes. Sabe de uma coisa? Sair da zona de conforto, da monotonia de só livros técnicos é ‘’bom demais’’.

Super dica de leitura!

Alda de Cássia 

segunda-feira, 20 de abril de 2020

Super dica de filme: Auto da Compadecida


Ontem, mexendo nas gavetas, achei a minissérie ‘’Auto da Compadecida’’ e hoje, resolvi escrever da beleza deste filme. Já havia visto 3 vezes. Pois sempre me divertia com essa comédia. A "mana abençoada" também, perdeu o número de vezes que também assistiu.

Atores como: a atriz Fernanda Montenegro e Denise Fraga e atores como os saudosos Paulo Goulart e Rogério Cardoso, como também Lima Duarte, Diogo Vilela, Selton Mello, ente outros, fazem parte desta minissérie.

É incrível como você, com o tempo, começa a ter um ‘’novo olhar’’ ao voltar a assistir novamente o filme. Fiquei mais atenta ao cenário que é de cordel. Até os pensamentos de ‘’Chicó’’ são narrados em forma de literatura de Cordel.

Que grande escritor foi Suasuna. Um mestre na arte de recontar histórias e dar vida aos seus personagem de uma forma tão grandiosa.Todos estamos de luto ainda por sua morte.

Dica de filme!

Alda de Cássia 

domingo, 19 de abril de 2020

Dica de leitura: Contos da Lua


Que livro mais encantador! O nome da obra é ‘’Contos da Lua e da Beleza Perdida’’, escrita por Sunny, tendo as ilustrações de Denise Nascimento e lançado pela Editora Paulinas.

São 5 contos: ‘’Nwaugo – A Beleza Perdida’’, ‘’Onyia – A Lenda da Sabiá’’ , ‘’Ikeputa Obuluele – A Força que destroi’’ , ‘’Mbê Ghóriri Enyi – A Tartaruga contra o elefante’’ e ‘’ApunÁnwu – Longe do Sol’’.

Lendo cada conto veio a recordação de contos lidos durante a infância como ‘’Leituras Obrigatórias’’. Eu e a ‘’mana abençoada’’ estudamos no Colégio Moderno e lá durante o ano os alunos deveriam ler pelo menos 4 obras-primas da Literatura Brasileira como parte da avaliação.

Confesso que, a origem e o amor pela leitura vieram daquela época e hoje a leitura está enraizada como ‘’alimento do cérebro e da alma’’. Que belo resgate da minha infância ao terminar a leitura deste livro, o qual indico  para ser lido na íntegra, mas antes, como sempre faço vou falar um pouco de um dos contos.

Bem, escolhi ‘’Ikeputa Obuluele’’, que conta a história de um menino que gostava de ver lutas algo que não agradava os seus pais. O tempo passou e ele tornou-se um lutador.

Ele ganhava todas as lutas e por não ter mais adversários a sua ‘’altura’’ ficou triste, porém havia um adversário que nunca havia sido vencido e ele só descobriu por acaso.

Tudo fez para desafiá-lo. Por isso, o conto tem o seu auge quando a grande disputa ocorreu, mas algo saiu errado e a história vai ter um final que nos leva a refletir: ‘’Até onde pode chegar a nossa ambição?’’

Dica de Leitura!

Alda de Cássia
 *Imagem: Livraria da Folha 

sexta-feira, 17 de abril de 2020

Talento é talento


Estou de volta com novidades !!! Achei em minhas pesquisas pela Internet duas reportagens muito interessantes, que ressaltam a criatividade e talento que tanto exaltamos em nosso Portal Revelar Talentos. Vou compartilhar, hoje, a história de uma mãe que usou sua criatividade na arte de preparar refeições para seu filho de 3 anos. Ela se chama Laleh Mohmedi e como mãe dedicada e preocupada com a alimentação de seu filho, o seu talento aflorou na forma de um cardápio colorido e divertido. Venha conferir abaixo, algumas imagens destas refeições. Vou deixar o link (http://bit.ly/29Sc2oC) para você conferir a reportagem na íntegra.






Fonte: https://br.vida-estilo.yahoo.com

Vitória de Cássia 

quinta-feira, 16 de abril de 2020

Um dos meus minicontos: Tamanduá Bandeira








Hoje é dia de conto! Sim, vou postar um dos meus contos que traduz um pouco do meu  jeito de escrever, ou seja, gosto de sair da zona de conforto da criatividade adormecida! Espero que você goste! 

Pense em um animal que gosta de colocar a língua onde não é chamado. Pensou? Agora, vou contar a você o que um tamanduá bandeira fez há alguns  dias na floresta. Vamos lá!

Tudo começou quando a porca brigava com o porco, pois ele transformou a casa em um chiqueiro quando entrou com os seus “pink shoes”  na sala, cheios de lama! O tamanduá ao ouvir a briga caiu em risos! Já na casa do macaco, o tamanduá também aprontou! Ao ver o macaco cair após pisar em uma banana, ele rolou de tanto rir.

Na casa da dona galinha, ele ouviu um piu, piu, piu geral e rápido correu para lá! O pintinho chorava porque, na escola o peru disse que sua mãe era uma galinha... Para o pintinho foi um golpe fatal! Nessa hora, o tamanduá não mais aguentando, chorou de tanto rir.

Indignados, correram atrás do tamanduá o porco e a porca, o macaco,  a galinha e o seu pintinho...

O tamanduá pôs-se ligeiro a correr para não apanhar! Tanto que, caiu depois que se enrolou com a própria língua e acabou mordendo- a.

A coruja sábia falou :

_"Vá cuidar da sua vida!!!! Porque, quem presta atenção na vida alheia, acaba mordendo a sua língua e morrendo de seu próprio veneno ...”

Alda  de Cássia 
*Arte:Vitória de Cássia 

quarta-feira, 15 de abril de 2020

Será que o amor é um paciente curado?





Sei, sei, já estou de novo ‘’no meu momento’’. Mas em um bom momento... Confesso a você. 


Sim, antes de você encontrar o ‘’amor’’ (quem já o encontrou), você passa pela ‘’gangorra da paixão’’. Começou ‘’ficando’’, ficou mais um pouco. Gostou. Não deu certo aqui e ali, mas um dia... O amor chegou ‘‘de malas prontas‘’ para ficar: ‘’Chegueiiiii, querida(o)! (rs) .Não é verdade?

Coisa esquisita de se falar Alda? Acho que não! (rsrs).Tudo bem, que tenho mania de escrever de forma ‘’meio simbolizada’’, porém sou assim mesmo.Diria: ‘’complicada e engraçadinha!’’. No entanto, vamos voltar ao bate-papo! Hellooooo!!!! (rs)

Quem já se apaixonou pelo (a) primeiro (a) professor (a)? Eu!!!!!!!... Virgem Maria! Faz muitooooo tempo. Era o Lóris,  professor de Inglês do CCBEU. Depois, o colega da sala ao lado da escola e da faculdade.Quem não??? (rsrs)

Pois é, ’’amores’’ que chegaram, aconteceram e foram ou ficaram! Alguns, difíceis de esquecer e outros nem tanto. Mas, o que desejo falar é que existe o ‘’amor’’ que chega com o vento. Sim, um vento quase brisa. Dando aquele ‘’frio na espinha’’ e com o tempo ‘’chega de malas e cuias’’, como nós paraenses costumamos falar ‘’por este lado de cá, maninha (o)’’(rsrs)

Sempre falo nas conversas com algumas amigas: "Arranje um homem que faça você transbordar o melhor de você e de quebra o melhor dele também’’.Estou errada?

OK! Vamos sair deste assunto para não virar polêmica!!

Será que o amor é um paciente curado?

Alda de Cássia 
 arte:Vitória de Cássia 

terça-feira, 14 de abril de 2020

Curiosidade:Teatro da Paz




"O Teatro da Paz foi fundado em 15 de fevereiro de 1878, durante o período áureo do Ciclo da Borracha, quando ocorreu um grande crescimento econômico na região amazônica. Belém foi considerada “A Capital da Borracha”. Mas, apesar desse progresso a cidade ainda não possuía um teatro de grande porte, capaz de receber espetáculos do gênero lírico. Buscando satisfazer o anseio da sociedade da época, o governo da província contrata o engenheiro militar José Tiburcio de Magalhães que dá inicio ao projeto arquitetônico inspirado no Teatro Scalla de Milão (Itália).

Foi a primeira casa de espetáculos construída na Amazônia e tem características grandiosas: 1.100 lugares, acústica perfeita, lustres de cristal, piso em mosaico de madeiras nobres, afrescos nas paredes e teto, dezenas de obras de arte, gradis e outros elementos decorativos revestidos com folhas de ouro.
Localiza-se na cidade de Belém, no Estado do Pará. Atualmente, é o maior Teatro da Região Norte e um dos mais luxuosos do Brasil. Com cerca de 130 anos de história, é considerado um dos Teatros-Monumentos do País.

HALL DE ENTRADA

O hall de entrada é composto por materiais decorativos importados da Europa: ferro fundido inglês nos arcos das portas; escadaria em mármore italiano; lustre francês; bustos em mármore de carrara dos escritores brasileiros José de Alencar e Gonçalves Dias; estátuas em bronze francês; piso com pedras portuguesas formando mosaico e coladas com o grude do Gurijuba (peixe encontrado na região); paredes e teto pintados representando as artes gregas.

CORREDOR DAS FRISAS

Em 1905 é fechada a porta principal de acesso ao salão de Espetáculos, já que a mesma prejudicava a acústica, em seu lugar é colocado um espelho em cristal francês. Além do espelho foram acrescentadas estátuas em pedra francesa e nas paredes foram fixadas placas em ferro esmaltado contendo o regulamento da época informando que “é proibido fumar”. O piso foi decorado em Parquê, utilizando as madeiras regionais como acapú e pau amarelo.

SALÃO DE ESPETÁCULOS

A Sala de Espetáculos que originalmente possuía 1100 lugares, hoje comporta 900. As cadeiras conservam o estilo da época em madeira e palhinha adequadas ao clima da região. A balaustrada é toda em ferro inglês folheado a ouro. A pintura em afresco do teto central apresenta elementos da mitologia greco-romana fazendo uma alusão ao Deus Apolo conduzindo a Deusa Afrodite e as musas das artes à Amazônia.No centro do teto foi adaptado o lustre em bronze americano que substituiu um grande ventilador que ajudava amenizar o calor. Nas paredes, com motivos florais, as pinturas imitam o papel de parede. O forro dos camarotes foram pintados obedecendo à hierarquia social da época; para a 1ª classe eram utilizadas as seguintes localidades: varanda, platéia, frisas, camarotes e procênios de 1ª ordem; para a 2ª classe: galerias, camarotes e procênios de 2ª ordem e para 3ª classe paraíso. Os procênios eram reservados as autoridades como: Prefeito chefe de polícia e diretores de escola. O Camarote Imperial, atualmente do Governador, situado na 1ª ordem de camarotes é ornamentado com mobília em madeira regional. O pano de boca pintado na França no ateliê Carpezat intitulado “Alegoria à República“ foi inaugurado em 1890 em celebração a República Brasileira.

SALÃO NOBRE

O Salão Nobre (Foyer), local onde a nobreza costumava se reunir, para bailes, pequenos recitais e durantes os intervalos dos espetáculos, é um espaço altamente decorado com espelhos e lustres em cristal francês e bustos em mármore de carrara de dois grandes compositores da época: Carlos Gomes e Henrique Gurjão. O mezanino do salão era o local usado pelos músicos nos eventos sociais e freqüentado pelas pessoas do paraíso em noite de espetáculos. Quanto à pintura do teto feita em 1960 é do Pernambuco Armando Baloni, que se inspira nas musas da música ladeadas pela fauna e flora amazônica. As paredes, pintadas pelos italianos, retratam motivos neoclássicos com buquês de flores.

FRONTARIA

No inicio do século XX a frontaria foi o ponto mais significativo da reforma. Devido haver polêmico na norma do neoclássico italiano: na regra colunas pares e entradas impares, mas inaugurou ao contrário, com sete colunas e 6 entradas. Na reforma de 1905 foi recuado o frontão, retirando uma coluna e uma entrada, para decorar colocaram medalhões de musas, que representam as artes cênicas: comédia, poesia, música e tragédia; as laterais a dança. No centro o Brasão do Estado do Pará. As luminárias da balaustrada uma representam o dia e a outra à noite."


*Arte:Vitória de Cássia 
Pesquisa para o Blog:Vitória de cássia 

segunda-feira, 13 de abril de 2020

Sugestão de filme: A partida


Pois bem, aqui estou, ou cá estou, como você o queira que eu esteja (rs)...Que filmeeee!!Quando comecei a assistí-lo não dei ‘’nada por ele’’(rs),mas como sempre digo que você nunca pode julgar um bom filme só pelo seu início, pois tem que haver o desdobramento da história para que o final seja apoteótico ou não.

O filme foi ganhador do Oscar de melhor filme estrangeiro de 2009. A Revista Veja disse que é ‘’um belo filme construído em minúcias’’ e ‘’O Globo’’ classificou-o como um ‘’belíssimo e imperdível’’.

Verdade!Vou colocar na íntegra o texto da contra capa para que você possa desejar assistir este belíssimo filme, já que é um filme que mostra uma profissão que faz parte de uma cultura milenar japonesa, que é tão rica em ensinamentos.

‘’A Partida segue a história de um jovem que começa a trabalhar como ‘’Nokanshi’’, uma espécie de agente funerário, responsável por preparar o corpo, colocá-lo no caixão e enviar a pessoa que morreu para o outro mundo, agindo como um guardião entre a vida e a morte.Porém seu trabalho é desprezado tanto por sua esposa quanto pelas pessoas a sua volta, mas através da morte é que ele começa a descobrir o verdadeiro sentido da vida’’.

Termino aqui, dizendo que vale a pena assistir. Chorei, em alguns momentos, ao perceber que a morte não é apenas morrer, pois assim como havia beleza em vida, há beleza na morte. Preparar o corpo para a partida, da forma como o filme mostrou, fez-me ver que é preciso dar a quem amamos um dia, um ‘’último adeus’’, digno do que ela recebeu da vida.

Imperdível!!!!

Alda de Cássia 

sábado, 11 de abril de 2020

Como lidar com a agitação dos dias - Taoísmo



Que incrível ser capaz de conhecer um pouco do Taoísmo, que é ‘’uma sabedoria milenar que preza o paradoxo, união harmoniosa dos opostos, porque entende que na natureza eles não são excludentes, mas sim complementares’’ por meio de um texto e neste caso, li na Revista Nova Consciência.

O texto é de Roberto Otsu, que é  consultor I-Ching e professor de Taoísmo em Curso de Pós- graduação em Psicologia Transpessoal e que é  autor do livro ‘’A sabedoria da Natureza’’, que foi lançado pela editora Ágora.

Pois bem, ele começa com um conto.Já amei de ‘’cara’’, pois acredito que os contos quando direcionados para reflexões, conseguem alcançar objetivos como ‘’pare e reflita’’.

No conto o discípulo pergunta ao seu mestre: "O que é ‘’Zen’’? O mestre achou complexa a pergunta. Pensou. Pensou e pensou. Após alguns minutos, ele pediu para o discípulo pegar uma caixa sobre a cômoda e fosse para o quintal pegar o vento.

É natural que o discípulo tivesse ficado surpreso,mas mesmo assim foi até o quintal e procurou cumprir a missão dada.Será que conseguiu? Bem, o mestre ao ver o rapaz perguntou se ele conseguiu pegar o vento e colocar na caixa.O discípulo ao compreender que a resposta já havia sido dada com a pergunta, ele colocou as mãos no peito e agradeceu o mestre.

Você conseguiu captar a mensagem? Pois é, ao terminar de ler o conto fechei os olhos e parei para refletir e a minha resposta foi muito próxima da mensagem.

Na verdade, pensei como podemos aprisionar o vento, se ele é livre. Se for preso, então não é vento e segundo o mestre explicar o ‘’zen’’ é tão difícil quanto explicar o amor.

Roberto até refletiu que em uma reunião com 10 pessoas, certamente cada uma possui uma forma de explicar o que é o amor, pois o amor não se explica em igualdade.

Interessante quando Roberto fez uma comparação entre o Ocidente e o Oriente, assim como o cérebro direito e o cérebro esquerdo. Tanto que diz que o Ocidente é a ciência e o Oriente é a Espiritualidade.

Enfim, suas reflexões nos levam a perceber que precisamos resgatar as coisas que transcendem a mente humana, a inocência, o deslumbramento. Por isso, o Taoísmo é um caminho para manter a ‘’chama do encantamento’’.

Assim, acredito que só poderemos lidar com a agitação da vida quando conseguirmos lidar com os barulhos que estão dentro e não fora de nós.


 Alda de Cássia

*Imagem: Facebook 

sexta-feira, 10 de abril de 2020

Dia de reflexão!


Diário das Gêmeas Paraenses 
Hoje é sexta-feira Santa, dia que os católicos de todo o Brasil e os que moram no exterior estão em oração, jejum e reflexão. Não há missa, pois, a Igreja apenas faz reflexões sobre a morte de Jesus Cristo. e devido ao isolamento social.

Desde pequenas, nossa mãe nos fazia refletir sobre este dia.Não podíamos ouvir música, a televisão era com o volume baixo e falar baixo sempre.

Nosso pai só almoça depois das 3 horas da tarde e fica a anhã com a televisão desligada e em completo retiro em seu quarto. Eu, a ‘’mana abençoada’’ e a nossa mãe também, refletimos sobre este dia.

Aqui, como em muitas casas, não comemos carne. O não comer carne na sexta-feira santa tem o significado de honrar a morte de Jesus na cruz, já que Jesus sacrificou sua carne para a salvação da humanidade.

Amigos, que este dia seja de reflexão e oração!!
Fica em casa!
Isso vai passar!

Assim Seja!
Amém!!

Alda de Cássia e Vitória de Cássia

quinta-feira, 9 de abril de 2020

Miniconto terapêutico:As notas



Vamos para mais um dos meus minicontos!Fiz quando minha bolsa caiu no chão e as cédulas ''voaram''.

Num cofre de banco, entre joias preciosas, objetos de valores, relíquias de família e até moedas de colecionadores algumas notas de reais conversavam dentro de um saco de dinheiro.

_ ‘’É tão bom sermos guardados aqui. Estamos protegidos, já que somos valiosos ! (Dizia a nota de R$ 100,00)

_ ‘’ ... Cada um tem o seu valor. Aqui somos valiosos. Lá fora nem tanto para alguns! Dia desses, conversando com minha amiga, a nota de R$ 2,00  ela me disse que já não tem tanto valor na vida. Antes, na febre dos 1,99, ela era estrela das bolsas das madames e até da meninada da escola. Hoje, está desvalorizada. Só serve para troco ou para completar o troco ‘’ ( relatou a nota de R$ 5,00)

É... amigas notas... Cada uma de nós tem o seu valor nas mãos de quem nos segura ! Somos valiosas para o estudante que sonha com a sua primeira mesada e para a jovem aprendiz que sonha comprar um novo celular com o seu primeiro salário. Muitos sonhos, até daqueles que jogam na sena, querendo nos multiplicar. Mas também há aqueles que compram mantimentos para doar às vítimas de grandes catástrofes, os adolescentes que compram um livro para ler mais uma história de seu autor preferido, aqueles que se atualizam para fazer concurso público ou para apreender novos conhecimentos comprando DVDs ou CDS. Enfim, somos usadas todos os dias.(disse a moeda de R$ 1,00).

Para refletir:

Aprenda! Cada um de nós tem o seu valor. Mas, somos todos importantes se reconhecermos, primeiramente, este fato. Não há necessidades nesta vida de comparações. Somos o que somos a partir do valor que nos damos ! Ninguém é melhor do que ninguém ! Devemos simplesmente, nos valorizar porque, aos olhos do Pai somos muito valiosos !! 

Alda  de Cássia 
*Arte:Vitória de Cássia