quarta-feira, 16 de setembro de 2015

O amor cantado.

Ouvindo alguns Boleros do grupo ‘’Los Panchos’’, fiquei tentada em escrever sobre o amor de um momento ou de uma vida inteira.

Que belas canções que falam de amor, de um amor. Amor que deixa saudades ou que leva um pouco do outro em pensamentos.

Aí, o amor que chega devagar, mas como um rio deságua no mar de um coração. Despretensioso no início, mas é certo que chegou para ficar.

Não por uma noite, mas por uma vida inteira. Sonhos em realidade. Realidade, que parece sonhos, de tão surreais e envolventes. Mas o amor ‘’tem dessas coisas’’.

Confesso que, estou no ‘’mar’’, mas não à deriva, como alguns amigos que conheço, que buscam amores, porém estão no fundo, presos como âncoras no passado.

Quem não deseja um amor para vida inteira? Quem já não tem, mas sente aquele ‘’frio’’ de perdê-lo? Pois é, mas o amor que é amor, não causa dúvidas, não traz inseguranças e não deixa uma lágrima de tristeza cair dos olhos dos enamorados.

Bem, desejo um...

‘’ Besame, besame mucho,
como si fuera esta noche la ultima vez...
Besame, besame mucho,
que tengo miedo perderte, perderte despues...

Quiero tenerte muy cerca,
mirarme en tus ojos y estar junto a ti,
piensa que tal vez mañana,
estare muy lejos, muy lejos de aqui...

ou

‘’Siempre que te pregunto,
Que cuando, como y donde,
Tu siempre me respondes;
Quizas, quizas, quizas.

Y así pasan los dias,
Y yo hay desesperando,
Y tu, tu, tu contestando;
Quizas, quizas, quizas.’’

Aff!! Estou totalmente enamorada por esses lindos Boleros!

Agora é a sua vez de sentir... Envolva-se e se  apaixone!


Bjs,

Alda