segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Filme: Senna - O Brasileiro, o Herói, O campeão


Túnel do tempo !

O filme traz a sua trajetória de conquistas do Senna, um pouco de sua vida em família e o que o levou a ser admirado e amado por milhões de pessoas em todo o mundo. 


Vou fazer uma pequena síntese do filme, pois desejo que você o assista, assim que puder. Nosso objetivo aqui no "Diário das Gêmeas Paraenses" e fazer uma homenagem a quem fez parte também da nossa vida, como fez da sua ou de seus amigos e familiares.

Em 1984, Senna ingressou na Fórmula Um. Antes, ele corria em kart, o que lhe deu uma boa experiência em corridas de circuitos.

A ‘’Toleman’’ foi a sua primeira equipe. Quando perguntado como se sentia ao vencer a sua primeira corrida de fórmula (GP de Mônaco) um dia disse: ’’Deus está me dando um presente que eu estava esperando há muito tempo... ’’

 O próprio James Hunt, Campeão Mundial de 1976 falou: ’’Primoroso Talento... A Toleman não era uma equipe vencedora. O carro não era vencedor. E não seria possível ele vencer nenhuma corrida... ’’

Com esta conquista, ele foi contratado pela ‘’Lótus’’, em 1985 e mais uma vez venceu, dessa vez foi no GP de Portugal tendo uma volta e meia na frente de Prost, que parou por problemas técnicas.

Ao ser entrevistado sobre como se sentiu após a vitória, ele disse: ’’... Ou você dá o melhor de si ou desiste!’’. Digo que é uma frase de pessoas vitoriosas’’.

Não poderia deixar de mencionar o GP do Japão, onde ele após fazer adotar uma estratégia ‘’irregular’’, foi suspenso por 6 meses.Foram 6 longos meses que o fizeram repensar se voltaria ou não as pistas. Mas o amor pelo esporte falou mais alto e ele voltou e ganhou muitas outras corridas.

E por fim, a sua grande Conquista, a realização do seu maior sonho, vencer no Brasil um Grande Prêmio de Fórmula Um.

Foi em 1991, o GP do Brasil...


Ele disse:’’Sempre sonhei em ganhar no Brasil!’’.Ele gritava, chamava nome, não conseguia conter sua imensa felicidade pela vitória.

Foi uma corrida difícil. Tanto, que assim que acabou, ele desmaiou.Saiu do carro com fortes espasmos musculares, devido ao desgaste físico em decorrência de problemas técnicos no carro.

Assim que chegou aos boxes, pediu quem ninguém o tocasse, tamanha era a sua dor. Apenas gritou para que o seu pai viesse até ele e com um beijo em seu rosto selou a sua vitória.

No momento que ergueu com dificuldades a taça... Nós, ‘’o povo brasileiro’’, também a erguemos!! Ele era assim, ganhava, mas quem recebia o grande prêmio éramos nós BRASILEIROS!!

Nossa indicação de hoje!
É imperdível!!

‘’Olé, olé, olé, olá... Senna! Senna...!”
Bjs,
 Alda e Vi 

 *Imagem Google: 

Filmes online 
Globoesporte.com
Vale a pena passar por lá!

domingo, 15 de janeiro de 2017

Livro:Os últimos Quartetos de Beethoven


O autor deste livro: ’’Os últimos Quartetos de Beethoven e outros contos’’ é filho do romancista Érico Veríssimo, Luis Fernando Veríssimo, autor de obras como: ’’O Analista de Bagé’’, por exemplo.

Nesse livro estão contido contos inéditos e alguns publicados em revistas e jornais. Cito hoje: ’’O pôster’’, que fala de um casal. A esposa prepara uma bacalhoada para aguarda a chegada do patrão do seu marido, que vai escolher, entre os candidatos, o funcionário padrão para ocupar uma vaga disponível na empresa.

Os questionamentos vão desde os Cd´s de ‘’Mercedes Sosa’’ até o pôster de ‘’Che Guevara’’. Dos livros de Picasso a Francis Bacon.

Um belíssimo conto, que fala da nossa necessidade, muitas vezes, de impressionar o outro ou de causar uma boa impressão quando alguém vem nos visitar.

Confesso que não somos de receber nossos amigos em casa. Até porque, trabalhamos de manhã até o final do dia. E, nos finais de semana, colocamos em ‘’ordem’’ as desordens da semana (rs).

Digo que é o dia de ‘’ficar a vontade’’, de dormir até tarde, de sentar no chão e arrumar os cd´s e selecionar os livros para a leitura do final de semana.

Até as minhas melhores amigas nunca vieram em casa. Sei lá, talvez seja a criação que tivemos. A ‘’tal preservação da intimidade’’. Acho que é por isso, que nunca também fui até a casa delas... Talvez, também com o pensamento de ‘’preservar a sua intimidade’’... Não sei, se é errado, mas somos assim!Não me sinto mal como isso, mas acredito que elas, sim!Lamento, por isso!!

Leiam o livro e o recomendo, pois fez me refletir sobre esse ‘’esperar alguém em casa’’ e a busca de deixar ‘’perfeito’’ para recebê-lo!!


Bjs,
 Alda

*Imagem: Arquivo Pessoal 

sábado, 14 de janeiro de 2017

Filme:Gandhi (Dica de hoje)


O filme Gandhi é uma obra-prima que levou 20 anos para ser concluída. Tendo recebido nove prêmios Oscar: melhor filme, melhor diretor, melhor ator e melhor roteiro inicial, entre outros.

A frase que expressa a grande espiritualidade deste homem está na capa do DVD:’’Nós devemos ser a mudança que desejamos ver’’. A história de Gandhi, o homem do século, é contada neste filme que impressiona por retratar a vida deste grande homem de uma forma simples porém, majestosa.


O  filme começa com uma paisagem, sem personagens só o dia clareando em um local exótico perto do mar. Após essa cena aparece uma multidão de pessoas acompanhando Gandhi. Um homem aproxima-se e após fazer um gesto com as mãos, característico do povo hindu quando faz reverência a uma entidade religiosa, o mata com mais de três tiros a queima roupa, mesmo tendo Gandhi retribuído com as mãos sua saudação.


Esta cena ocorreu, em 1948. O filme, no entanto faz uma viagem pelo tempo é começa em 1913,  na África do Sul, mostrando Gandhi dentro de um trem. Nesta época, um indiano não poderia ficar na primeira classe, junto com cristãos, já que eles tinham passe que os impediam de tal aproximação.


No entanto, ele foi jogado para fora do trem, mesmo tendo dito e mostrado o seu passe, que dava direito a viajar naquela área e ter por último recurso de apelação ter dito que era advogado.


Como hindu, Gandhi não poderia andar na mesma calçada que os cristãos quando esteve na lei da África do Sul. Este foi o argumento dado a ele diante da sua indignação com tal descaso com o  ser humano.Ele disse:’’Temos  que  lutar, todos somos filhos de Deus’’.

Os hindus eram contratados para trabalhar nas minas e nas plantações e não ser mais que isso. Ser representante do povo era uma afronta ao Império, mas Gandhi falava da necessidade de ‘’amar uns aos outros, como a si mesmo’’.

Ao ser visitado por um reporte britânico, na área onde estava sendo construída uma comunidade, o mesmo disse a Gandhi que ele deveria se orgulhar pelo feito. Ele respondeu, com a sua simplicidade, que aquela obra não deveria ser motivo de orgulho.

Até sua esposa teria que lavar o banheiro e quando a mesma o questionou, já que, só os ‘’párias’’ o lavariam, ele respondeu ‘’que eram princípios’’ e quase a  expulsou da comunidade. Porém, após se desculpar pelo pedido, ela não só o perdoou, como o fez.

Não desejo contar o resto do filme, já que espero que você tenha a oportunidade de vê-lo. Mas vou deixar um trecho de uma parte do discurso de Gandhi a um grupo de hindus e muçulmanos que iriam lutar contras as leis imperiais. Cito:


‘’ Podem torturar o meu corpo...
Quebrar os meus ossos...
...E até me matar...
Então, eles terão o meu cadáver...
Mas, não a minha obediência ‘’



Este é o filme que mostra o coração e a alma de um homem... GANDHI!!

Uma perguntinha: Devemos ser a mudança que desejamos ver ? 

Nossa Indicação!

Bjs,
 Alda e Vi 

*Imagem: Arquivo Pessoal

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Telhado de vidro


Diário das Gêmeas Paraenses 



"Pare de jogar pedra no telhado do outro, pois o seu é de vidro!". Quem nunca ouviu esta frase? Crescemos ouvindo! A referência é de que quando nos preocupamos com a vida do outro, acabamos deixando de cuidar da nossa, que muitas vezes é frágil por falta de cuidados.

Aproveitando este momento... Lá vai uma perguntinha. Ok? Seu telhado é de vidro? Você conhece pessoas que possuem ‘’um olho arregalado’’ no telhado do outro?
Nossa mãe sempre diz: ‘’Quem cuida da sua vida, não tem tempo de saber se o vizinho mudou a cor do cabelo’’ ou ‘’Quem sabe da vida do outro, esquece a sua vida’’.

Enfim, não devemos jogar pedra no ‘’telhado do outro’’, pois o nosso pode ser de vidro .Pense nisso!

Bjs,
Alda  

 * Imagem: Portal Revelar Talentos (Vi) 

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Filme:Pequenos Milagres (Dica de hoje)


O filme, ‘’Pequenos Milagres’’, fala que a esperança pode ser encontrada nos lugares mais inesperados. Os personagens vão se cruzar no meio do deserto, mas, para que isso ocorra, cada um vai passar por situações pessoais, com forte impacto emocional.

Cito os personagens para aguçar a sua vontade de ver o filme: Um homem à beira de um suicídio. Um rapaz que busca o reencontro com a namorada que morreu e uma garota que recebe sinais que a salvam da morte.

Vou tentar falar um pouquinho do filme, mas sem comprometer o enredo, já que, desejo que você consiga vê-lo porque é um filme que parece um ‘’quebra-cabeça’’, já que os personagens e as cenas são entrelaçados do começo ao fim.

Vamos lá! Espero ser capaz de expressar-me por aqui, de forma que não tire o ‘’glamour" do filme, Ok?

A cena começa com um homem em uma casa. Após a morte da esposa, ele recusou-se a ‘’voltar a viver em sociedade’’. Os amigos não o esqueceram e, no dia do seu aniversário tentam convencê-lo de quanto ele é importante para eles, tendo um dos seus amigos confessado: ’’Eu não desistir de você’’.

Ele, após abrir o presente recebido sai. No caminho leva o GPS recebido pela esposa, que o manteve guardado em uma caixa de presente há um ano, desde a morte dela.

Após sair de casa de carro, ele chega a um local no deserto. Sem rumo, ele chegou até lá! Ao descer do carro, ele ajoelha-se e, com um revolver, tenta tirar a sua vida. Mas ao ouvir a voz vinda do GPS, que antes estava aparentemente com defeito, ele olha para trás surpreso.


A voz vinda do GPS dizia: ’’Por favor, dê meia volta. Está no caminho errado do seu destino’’. Então, ele desiste de tirar a sua vida e vai pelo caminho indicado pelo GPS. E o filme prossegue cheio dessas surpresas.


Após assistir esse filme, senti a necessidade de compartilhar com vocês um pouco dele. E vejo que nossa vida é cheia de pequenos milagres. Sim! Falo de mim e de você, porque sei que a sua também é cheia de pequenos milagres!!


Vou contar ma coisa para vocês. Antes de nascermos, nossa mãe teve um aumento da pressão e entrou em coma. Meu pai e minha avó materna oraram muito pelas nossas vidas. Quando digo isso, me incluo, junto com a "mana abençoada" e nossa mãe, já que, o médico havia dito ao meu pai que talvez ‘’ou as crianças ou a mãe sobrevivam’’.


Só para você ter uma ideia sobre a fé de toda a família, que em oração rezou por nós, nós não só nascermos de parto normal, como somos normais (rs)


E você? Tem algum pequeno milagre para contar?


Conte-nos !!!

Nossa Super Indicação  !

Bjs,
 Alda e Vi 

*Imagem: Arquivo Pessoal 

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

A importância do silêncio


Diário das Gêmeas Paraenses 


Hoje, vamos falar sobre: ‘’A importância do silêncio’’. Ou melhor, vamos falar da necessidade de ‘’silenciar o nosso mundo interno’’. Sim, o ato de fazer silêncio  para nos reconectarmos com o Deus,  já que vivemos em um mundo externo muito 
"barulhento’’.


No nosso livro, ’’Contos Terapêuticos – À procura de respostas’’, faço uma reflexão ao nosso ‘’mundo interior’’: ‘’...Todos nós, em algum momento da vida, buscamos respostas ao enigmático mundo interior. Existe silêncio neste mundo, que faz muito barulho, tanto que é como um eco que muitos não suportam ouvir...’’.

Ontem a noite estava lendo uma passagem da Bíblia, que me inspirou a falar sobre este assunto hoje. Qual? Foi em Mateus (cap. 6, V.5 q 7) que diz:

‘’E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois gostam de orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade te digo que já receberam sua recompensa. Mas, tu, quando orares, entra em teu quarto e, fechando tua porta, ora a teu Pai  que está em segredo, e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará. E orando, não uses vãs repetições, como os gentios, porque pensam que pelo seu muito falar serão ouvidos’’.

Confesso que, demorei um pouco a compreender que ‘’porta fechada’’ e ‘’entrar no teu quarto’’ significa que devemos ter momentos de reflexão e que devemos ouvir o que se passa em nosso interior. Ouvir o nosso ‘’Eu’’ e deixar o ‘’eu’’ ficar calado.

Ando bem assim ultimamente! Estou procurando falar menos e ouvir mais. Observar as pessoas, pois muitas ‘’falam com os olhos e o corpo’’...Algumas,nem imaginam o quanto são ''falantes em seus silêncios''.

Enfim, que possamos aprender na experiência do próprio silêncio, a escutar o nosso ‘’Eu’’, pois quando somos muito barulhentos internamente, desconhecemos até  quem somos.

Bjs,
Alda  

 * Imagem: Portal Revelar Talentos (Vi)

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Livro: Ernest Hemingway – Contos Volume 1


Vou logo confessar: Só agora comecei a ler a trilogia dos contos do escritor norte-americano Ernest Hemingway. Um escritor que foi muito aclamado pela sua capacidade de criar belas histórias.

Ele foi correspondente na Guerra Civil Espanhola. E deve ser por isso que ele escreveu  ‘’Quem os sinos dobram’’ uma das suas mais grandiosas obras literárias.

Nesse primeiro volume, ele deu a ‘’vida’’ ao personagem ‘’Nick Adams’’ e com ele vem contando suas histórias pessoais em cada página. Um personagem denso e com um espírito aventureiro.

São 28 contos. Bem definidos e delimitados.Foi lançado pela editora Bertrand Brasil , este já na 7 edição, com a tradução de José J.Vieira que conseguiu traduzir e registrar de forma impecável  o talento deste grande escritor.

Qual conto escolhi?: "O lutador’’. Fala do jovem Nick, que foi jogado de um trem por um guarda-freios. Ele ficou bem machucado e com muita raiva do homem.

Era noite, e ele começou a caminhar até ver de longe uma fogueira. Ficou cauteloso, mas se aproximou da fogueira. Ao se aproximar, viu um homem que estava sozinho e indiferente ao meio.

Eles conversaram um pouco.Nick contou a causa dos seus hematomas e acabou percebendo que o homem era estranho.Tinha um rosto deformado. Houve um estranhamento, já que o homem não gostou de ver Nick olhando de forma fixa sobre ele. Por isso, tirou o chapéu e mostrou que só tinha uma orelha.

Em certo momento chegou ‘’Bugs’’, que de forma gentil falou com Nick.Ele o convidou para comer.A certa altura, o homem ‘’saiu da casinha’’ e ameaçou Nick. Para evitar o pior, Bugs teve que agir e o final do conto teve um enredo surpreendente...

Ops! Só uma coisa posso dizer sobre o que refletir sobre este conto: Que algumas pessoas precisam de ajuda para superar seus traumas do passado. Algumas ''enlouquecem'' perdidas  no passado do passado. 

Dica de leitura!

Bjs,
Alda

*Imagem: Arquivo Pessoal