terça-feira, 22 de agosto de 2017

LIVRO:Contos Terapêuticos - À Procura de Respostas


Hoje, vou compartilhar mais um conto do nosso livro: ‘’Contos Terapêuticos - À Procura de Respostas’’, chamado:  ‘’Uma Carta para Deus’’, com a revisão da nossa amiga Sylvia Calandrini  e que foi lançado pela editora Paka-Tatu ano passado.

Psiuuuuuu... Um segredinho: Logo, logo vamos lançar o segundo livro e que vai trazer 10 contos terapêuticos bem reflexivos, fruto das minhas experiências profissionais como terapeuta ocupacional.

Vamos lá!





   
                   Uma carta para Deus

  
Ouço uma música! Ela fala de Amor em sua melodia. Um silêncio no quarto... Sinto a Sua presença, meu Deus! Deus de amor! Sempre sinto a sua presença, principalmente nas horas que não sou compreendida, quando alguém olha para mim com indiferença.

É forte a sensação que está aqui! Sinto!! O vento bate e entra no meu quarto trazendo a brisa da noite que chega. E eu aqui a escrever para o Senhor!

Quantas pessoas vivem hoje sem conhecê-lo e sem sentir a Sua presença? Talvez por isso muitas matam e se matam. Brigas, guerras, são consequências da falta de Deus nos corações.

Pobres criaturas! Muitas não percebem que os raios de sol vêm das Suas mãos e que irradiam Amor em forma de luz. As estrelas surgem quando o Senhor estala os Seus dedos e nos avisam, naquele pontinho de luz, que o Senhor está ali.

As flores! Que belas são quando desabrocham! Sei que elas se abrem porque sentiram o Seu toque. Todas as vezes que alguém faz o bem ao seu próximo, o Senhor responde ao mundo que está feliz desta forma. Ai se todos soubessem disso! Quanto bem faria aos mais pobres dentre os pobres!! Como Madre Teresa de Calcutá fazia em vida.

As crianças que vem ao mundo são a certeza de que o Senhor, meu Deus, acredita que o homem um dia será a Sua semelhança, não de aparência, mas de bondade e humanidade.

Nasci com um cromossomo a mais. No par 21 dizem que sou Síndrome de Down. Na verdade, sou Maria Cecília, a irmã do Haroldo. Por sinal, meu irmão, assim como os meus pais, tem um imenso amor por mim.

Sabe como é amor à primeira vista?

O que é ser diferente? Não sei! Mas lá na APAE sou vista com uma criança que nasceu com um atraso. Hoje, sei que isso significa dificuldade em meu desenvolvimento. Por exemplo, demorei a andar, a falar e a escrever. Só isso!

Meus colegas de turma, o Gustavo e o Artur José, também passaram por isso e estão aí para provar que somos diferentes sim. Nem os gêmeos univitelinos são iguais na aparência.

Imagine nós!

Talvez eu seja diferente porque desejo que um dia não exista mais no mundo a fome, que as pessoas não fiquem dormindo nas ruas, que ninguém abandone os seus pais quando eles ficarem velhos, que um filho nunca levante a voz para a
sua mãe e que Deus toque o coração daqueles que fazem o mal ao seu próximo.

Isso é ser diferente? Eu sou!

Termino aqui a minha cartinha ao Senhor, que é meu Deus. E vou colocá-la esta noite debaixo do meu travesseiro para que eu sinta a Sua presença quando vier buscá-la.

Saiba, meu Deus, que desejo que um dia as pessoas sejam melhores do que são. Quando o Senhor permitiu o nascimento de uma criança com Síndrome de Down, ou seja, tendo 1 cromossomo a mais, no par 21, foi para dizer ao mundo “AMO 21 VEZES VOCÊS!”. Saiba que quando sou amada pelo que sou e não pelo que as pessoas desejariam que eu fosse, eu irradio 21 vezes o Seu amor que guardo no peito.

Obrigada, meu Deus, por me fazer um instrumento do seu amor!

               PARA REFLETIR

Padre Marcelo Rossi, no livro Ágape, escreve: “O Amor a Deus é o amor aos irmãos”. É tão reveladora essa palavra!Como podemos amar a Deus, a quem não vemos, se não somos capazes de amar ao nosso irmão, a quem vemos, com quem convivemos?          

Quantas vezes você sentiu a sensação de ser “um peixe fora d’água”? No nosso primeiro dia de trabalho, a sensação de “preciso me identificar com alguém” vem à tona.

Ir para uma festa com amigos é uma coisa. Chegar sem conhecer ninguém é como se você tivesse exagerado na maquiagem ou vestido a roupa errada. Todos olham ou ninguém olha. Você já passou por isso? Já! Então, sabe a sensação de “peixe fora d’água”.

Todos somos diferentes! Imagine o arco-íris com duas cores iguais. Nem pensar!! A beleza reside nas diversidades das cores!

               TEMAS
Amor,
Deus e
amizades.

Ser diferente é ser você!

Li uma vez uma frase que trazia a seguinte reflexão: “Deus criou as pessoas com deficiências porque Ele acreditava na Humanidade”.

Sempre digo para as mães que atendo no setor de Terapia Ocupacional: “Não vejo seu filho como deficiente e sim como uma criança que precisa se amada e estimulada para ser feliz.

Só assim, veremos todas as suas potencialidades e não as suas limitações”.

Eu faço a diferença neste mundo. E você?

Deus nos fez diferente para saber identificar seus filhos no meio da multidão!

Bjs,
Alda de Cássia

Arte da capa:Vitória de Cássia


segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Mais um ''causo''das Gêmeas Paraenses - Jogo Lego




Resgatando nossa  infância...Tentandooooo (rs)

Estava lendo o livro: "O Mundo de Sofia – Romance da história da filosofia’’, de Jostein Gaarder da editora Cia. das letras e deparei-me com um dilema!!

Li sobre o ‘’jogo lego’’,sim aquele que vem com muitas peças coloridas e que você montar um castelo, por exemplo.Pois bem, no livro Sofia faz referência a este brinquedo dizendo que é era um jogo inteligente, onde todas as peças se encaixam uma nas outras, independente da cor ou do lado que você encaixe.

O pior foi quando ela disse que ‘’toda criança já brincou’’...Ops,peraíiiiii...Não me lembro de ter brincado com a ‘’mana abençoada de Lego’’.

Fui então  até a cozinha perguntar para a nossa mãe, se brincamos de Lego na infância. E ela respondeu que não! Absurdoooooooo... Disse logo! Ela, como sempre, questionou o porquê. E eu contei o fato.

Sei que eu disse que estava ‘’com um vazio na minha infância imenso’’ e que, logo na segunda-feira (Era Domingo), iria assim que saísse do hospital no comércio, atrás do ‘’Lego’’.(rs)

O certo é que ela disse que assim que eu terminasse de ler o livro, ela gostaria de ler para saber sobre esse tal ‘’de Lego’’(rs)

Bem, por três dias, ou melhor, três longos dias, procurei sem sucesso o ‘’Lego’’ e, quando estava pensando que não existisse no ‘’planeta’’(rs)...Achei!

Fui ‘’toda toda’’ para a caixa.Sabe aquela sensação de que você ganhou algo bom em uma rifa ou sorteio? Pois é, assim estava, como meu ‘’Lego’’ nos braços.

Sei que, cheguei,lavei as mãos e corri para o quarto. Sentei-me no chão e tirei o ‘’meu Lego’’ do saco. Comecei a montá-lo. Peça para cá, peça para lá. Foi quando nossa mãe entrou.

Vendo a ‘’marmota’’ perguntou o que era. Ao dizer minha nova conquista disse: ’Não sossegou até comprar, não foi?’’.Sim, sou assim, mas disse a ela:’’Aí, canseiiii...Agora sim, preenchi o meu vazio existencial.Resgatei a minha infância roubada’’. Rimos!


Bjs,
Alda  de Cássia 

*Imagem:Informática Educativa 

domingo, 20 de agosto de 2017

Livro:O Mundo de Sofia

Um livro bem interessante. Qual? O mundo de Sofia escritor por Jostein Gaarder, que foi lançado pela Companhia Das Letras  e que duvido que você termine de ler sem aquela sensação... Uauuuuu! Verdade! Fala de uma jovem que recebe uns cartões e bilhetes de um desconhecido, ou melhor, de tal major que ela nem sabe quem é e nem ouvir falar.

Na verdade, desde o primeiro bilhete, ela vai todos os dias verificar  na sua caixa de correio se ele enviou mais um ‘’daqueles bilhetes’’ que a faz refletir sobre o mundo e a filosofia ocidental.

O remetente mora no Líbano foi o que ela pelo menos descobriu. O certo, é que o livro é um romance cheio de mistérios, até porque os bilhetes são endereçados para ‘’ Hilde Moller Knag’’ que ela também não a conhece.

Confesso que, a cada página virada, eu me sentia transportada através de um túnel do tempo e consegui ser a ‘’Sofia’’, tanto que me via lendo os postais...Que loucuraaaaaaaaaaa! Ah! O livro é tão bom que já vendeu mais de 1 milhão de exemplares pelo mundo.

Dica de Hoje!
Super dica de leitura.

Bjs,
Alda de Cássia 

*Imagem: Livraria Saraiva 

sábado, 19 de agosto de 2017

Livro: Aprenda do Grande Instrutor


Hoje, compartilho um livro que recebi de uma paciente que era testemunha de Jeová e que estava internada devido a um AVCI (acidente vascular cerebral isquêmico), ou como popularmente diz, ela teve um derrame.

 O AVCI é causado pela falta de oxigênio em uma área do cérebro, o que diríamos devido a uma obstrução de uma artéria. No caso da paciente, foi devido a um aumento da pressão arterial associada a falta de uma dieta adequada, problemas familiares e tabagismo.

Pois bem, de uma maneira bem acessível, ela teve perda de movimentos de um lado do corpo (ex: braço e perna esquerda), alteração da fala (ex: não se fazia entender quando falava o seu nome) e alteração no andar (ex: caía quando colocado de pé)

Diante disso, ela estava emocionalmente fragilizada. Assim, durante as atividades de resignificação quanto á doença e o adoecer e de atividades autoexpressivas, treinos de AVD´S(atividades de vida diária) e até de contação de histórias, ela pediu para a filha pegar ‘’algo’’ que ela apontava insistentemente.

O que era? Este livro "Aprenda do Grande Instrutor", que era o seu livro de estudo já que ela era testemunha de Jeová. Ela fez sinal com a boca para perguntar se eu aceitaria o presente e é claro que não só aceitei como agradeci e li por sinal.

Vamos lá!

O que a leitura do livro despertou em mim? Não só um novo olhar como a agregação de novos conhecimentos o que de fato enriqueceu meus conhecimentos sobre esta religião que desconhecia em seus princípios. Aqui cito:

ü ‘’O nome de Deus é chamado de Jeová’’;
ü ‘’Jesus era filho espiritual de Deus, um anjo’’
ü ‘’Jeová coloca a vida do seu filho espiritual dentro de Maria para que Jesus pudesse nascer como bebê na terra’’
ü ‘’A doença algumas vezes vem do erro das ações e do pecado existente’’
ü Não comemoram o nascimento de Deus e nem aniversários.
ü Não recebem transfusão de sangue.

Enfim, independente de acreditar ou não, é preciso respeitar toda religião, pois somos filhos de um mesmo Pai e Ele não nos vê com olhos de indiferença e não escolhi filhos e sim os elegeu como filhos.

Bjs,
Alda de Cássia

*Imagem: Estante Virtual 

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Livro: O Profeta


Após assistir uma série de palestra sobre Khalil Gibran, fiquei muito curiosa para ler um dos seus mais vendidos livros, que foi traduzido em 40 idiomas e que na época só foram feitos 1000 exemplares, pois o editor acreditava que não seria muito vendido, o que não procedeu.

Qual o livro? "O Profeta’’, lançado pela editora L&PM pocket, traduzido por Bettina Becker. Pois bem, vamos lá! Gibran nasceu no Líbano, em uma família onde o pai era um coletor de impostos e que tinha alguns vícios, entre eles a bebida e a jogatina, mas era de uma família de intelectuais pela parte da mãe de religiosos.

Uma curiosidade vou citar por aqui: ele apreciava muito as obras de Leonardo da Vinci, tanto que, além de ser filósofo ele foi pintor e suas obras foram até expostas.

Mas, vamos ao que interessa de fato. Ok? Não vou falar de sua família e nem das cartas que trocava com Mary Haskell, que foi na verdade sua grande incentivadora e por quem nutriu um amor mas não foi correspondido. Mesmo assim, ele escrevia muito para ela e que ‘’O profeta’’ nasceu por aí!

Ele conta a história de um homem chamado Mustafá, que morou durante 12 anos em Orfalese, porém quando resolveu sair da cidade e voltar para sua ilha, ele foi impedido.

Sabe por quê? Porque, as pessoas quando descobriram que perderiam um sábio sem ter tirado dele as respostas para a vida. Então, foi que ele parou e respondeu a cada um seus questionamentos de forma filosófica.

Vou colocar uma das suas respostas reflexivas sobre o ‘’Amor’’ e espero que você seja envolvido, como fui, pela beleza da sua sabedoria e queira ler o livro na íntegra.

Vamos lá! Vou colocar um trecho, ok?

‘’ Quando o amor vos chamar,segui-o,
  Apesar do seu caminho ser duro e íngreme.
  E quando suas asas vos envolverem,abraçai-o,
 Apesar da espada escondida entre suas pernas poder ferir-vos.
 E quando ele falar convosco acreditai nele,
 Apesar de sua voz poder esfacelar vossos sonhos com o vento
Norte arruína o jardim. ’’

         Super dica de leitura!

Bjs,

Alda de Cássia

*Imagem:Livraria Saraiva 

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Os contos infantis


Hoje, vamos falar sobre os ‘’contos infantis’’e, ‘’cá entre nós’’, quem não se lembra do seu tempo de infância onde os contos de fadas povoavam o nosso universo literário?

O certo é que, nenhum conto infantil foi escrito por simples publicação e sim sempre existe uma mensagem sublimar ‘’nas entrelinhas’’. Não é verdade? Um exemplo: Vamos lá! Quem já leu o conto ‘’Os três porquinhos’’? Pois é, foi divulgado pelo escritor australiano Jacobs. Qual a mensagem a ser transmitida para as crianças? Será que é a união que deve existir entre irmãos, até porque eles lutam juntos para escapar do lobo e um defende o outro?

Que interessante era ler alguns contos que falavam de ‘’amor’’. Sim, como ‘’Branca de Neve’’, a ‘’Gata Borralheira’’ e até a ‘’Rapuzel’’, onde sempre havia uma ‘’sanguinolenta’’ fazendo de tudo para atrapalhar e impedir o dito ‘’Viveram felizes para sempre!’’.

Lá vai ‘’de cara’’ uma pergunta: Na vida real não existem pessoas assim? Sim, que fazem tudo para atrapalhar o romance alheio? Inventando supostas traições ou colocando ‘’minhocas’’ após os DR´s (discussão de relacionamentos) entre o casal?

E super-heróis? Eles saem do mundo imaginário e vão para o mundo real. Como? São aqueles onde homens, mulheres e até crianças salvam a vida do outro em perigo.

Quem não se lembra daquele história que viralizou nas redes sociais quando uma criança tirou o armário de cima do irmão. Pois é,alguns disseram que foi ‘’puro instinto’’, outros ‘’milagre’’, mas independente do sentido, foi unânime a fala ‘’Ele foi um herói’’. E de onde veio essa comparação?

Diria de adultos, que leram contos infantis onde o ‘’Batman e Robin’’ ou a ‘’Mulher maravilha’’ salvavam um inocente das mãos de um suposto ‘’Coringa’’. Não é mesmo?

O que desejo deixar como recado, é que precisamos favorecer e oportunizar nossas crianças a este rico aprendizado, até porque quem não sabe, a utilização de contos infantis enriquece o vocabulário das crianças, assim como proporciona uma maior concentração, tolerância e memorização, além de permitir a criatividade, aumento do vinculo pais e filhos e o incentivo à leitura.

Enfim,sou atualmente uma contadora de histórias ainda ‘’baby’’, mas a arte de contar histórias para crianças têm despertado em mim o prazer da leitura infantil, além de me tirar da zona de conforto da criatividade adormecida.

Bjs,
Alda de Cássia

 *Imagem: Pinterest.com


quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Livro: O Mito da Caverna


Este livro é um dos mais lidos de todos os tempos, um clássico da obra de Platão e foi extraído de uma de suas obras intitulada: "A República’’.Qual? "O Mito da Caverna".
Pois bem, já conhecia sobre o ‘’Mito da Caverna’’. Fui ‘’apresentada’’ na época em que era estudante do curso, de Terapia Ocupacional por um colega do curso que gostava muito de ler obras filosóficas.

Ontem, lendo o livro ‘’História da Filosofia’’, de Jean-François Pradeau,fui informada pela nossa mãe que ela ‘’tirava’’ boas notas em filosofia só não tendo boas notas em cálculos e daí pensei em silêncio, sou filha dela! (rsrs)

O certo é que, o livro é uma viagem de conhecimento filosófico ao mundo de Sócrates, e que Platão fez questão de registrar, já que Sócrates não deixou na escrito antes do suicídio com cicuta.

Os diálogos reflexivos são entre Sócrates e Gláucon (irmão de Platão) e que nos fazem sair da escuridão para a luz da verdade. Neste livro, Platão discute sobre ‘’a teoria do conhecimento, linguagem e educação na formação do estado ideal’’.

Quem são os habitantes da caverna?Porque, um deles resolveu sair do padrão? O medo do desconhecido é real? De onde vinham as imagens projetadas? Tantas perguntas, que no final da leitura você terá mais consciência do seu papel na sociedade.

Dica de hoje!

Bjs,
Alda de Cássia 

*Imagem: Resumo escolar 
                Livraria Saraiva