quinta-feira, 29 de junho de 2017

A vida é ...

A vida é ...


A vida é... cheia de obstáculos, mas se não fossem as dificuldades não haveria as vitórias.

A vida é... ganhos e perdas. Sempre perdemos ou ganhamos algo. Nada é tudo e nem tudo é nada. Não ganhamos tudo e não perdemos tudo.

A vida é... a descoberta de que, nem todos aqueles que dizem serem nossos amigos, são nossos amigos. O sucesso muitas vezes revela quem vai ficar ao nosso lado, assim como o fracasso.

A vida é... o encontro com a saúde perdida, ou o desencontro com o descaso com a saúde.

A vida é... o encontro com um grande amor, ou o desencanto com um amor que nunca foi amor.

 A vida é... feita de ‘’não’’, de ‘’sim’’, de ‘’talvez’’ ou ‘’ainda vai ser’’.

A vida é... poesia para quem ama, prosa para quem vive e verso para quem luta por dias melhores.

A vida é... uma corda bamba ou um mergulho no mar. É preciso saber se equilibrar ou nadar.

A vida é... um céu com muitas ou nenhumas estrelas, mas sempre será o céu.

A vida é... a minha vida é o resultado do que penso, planejo e faço.

A vida é... passado no passado, presente no agora e futuro a Deus pertence.


Para você a vida é ganhos ou perdas ? 


Bjs,
Alda de Cássia 

Arte: Vitória de Cássia 

quarta-feira, 28 de junho de 2017

FILME: A Partida



Pois bem, aqui estou, ou cá estou, como você o queira que eu esteja (rs)...Que filmeeee!!Quando comecei a assistí-lo não dei ‘’nada por ele’’(rs),mas como sempre digo que você nunca pode julgar um bom filme só pelo seu início, pois tem que haver o desdobramento da história para que o final seja apoteótico ou não.

O filme foi ganhador do Oscar de melhor filme estrangeiro de 2009. A Revista Veja disse que é ‘’um belo filme construído em minúcias’’ e ‘’O Globo’’ classificou-o como um ‘’belíssimo e imperdível’’.

Verdade!Vou colocar na íntegra o texto da contra capa para que você possa desejar assistir este belíssimo filme, já que é um filme que mostra uma profissão que faz parte de uma cultura milenar japonesa, que é tão rica em ensinamentos.

‘’A Partida segue a história de um jovem que começa a trabalhar como ‘’Nokanshi’’, uma espécie de agente funerário, responsável por preparar o corpo, colocá-lo no caixão e enviar a pessoa que morreu para o outro mundo, agindo como um guardião entre a vida e a morte.Porém seu trabalho é desprezado tanto por sua esposa quanto pelas pessoas a sua volta, mas através da morte é que ele começa a descobrir o verdadeiro sentido da vida’’.

Termino aqui, dizendo que vale a pena assistir. Chorei, em alguns momentos, ao perceber que a morte não é apenas morrer, pois assim como havia beleza em vida, há beleza na morte. Preparar o corpo para a partida, da forma como o filme mostrou, fez-me ver que é preciso dar a quem amamos um dia, um ‘’último adeus’’, digno do que ela recebeu da vida.

Imperdível!!!!
Nossa Indicação

Bjs
Alda e Vitória 

terça-feira, 27 de junho de 2017

’’Quem pensa pouco errar muito’’


Concordo com o cientista, matemático, pintor, arquiteto, botânico, poeta e músico Leonardo da Vinci, quando disse: ’’Quem pensa pouco errar muito’’.

De fato! Precisamos sair da zona de conforto e deixar de andar pelos caminhos já percorridos e que nem sempre mostram bons resultados e buscar planejar uma nova rota para chegar ao ponto desejado.

Geralmente, gosto de criar novas estratégias de intervenção terapêutica. Sim,quando tenho uma ideia, eu procuro pesquisar no Google, comprar livros e fazer minhas adaptações.

Não gosto de rotina. Não gosto de chegar às metas desejadas com trabalhos repetitivos, desmotivados e sem amor envolvido. Trabalhar por trabalhar não é o meu lema de vida, até porque, infelizmente, existem algumas pessoas que fazem a mesma coisa, da mesma forma e do mesmo jeito.

Não, não. É preciso pensar muitooooooooooooooooooo antes de começar a dar o quinto passo. Sim, dar o primeiro é necessário. O segundo algumas vezes, vai com empolgação. O terceiro já começa a ficar difícil, já o quarto vem o alerta ‘’Algo está errado’’ e no quinto, você para no ‘’’E agora?’’.

Refazer a trajetória com uma caneta e um papel. Geralmente, observo meus acertos e minhas falhas. Faço as correções devidas ou repenso, refaço algumas estratégias e sigo em frente.

Se errar de novo? Bem, quem não erra não acerta, não é mesmo? Até porque, grandes conquistas vêm de alguns atrasos na rota escolhida e de alguns imprevistos que devem ser resolvidos com a coragem de continuar caminhando.

Duas perguntas: Você costuma inovar?Você sai da zona de conforto da mesmice? 

Bjs,

Alda  de Cássia

*Imagem: A mente é maravilhosa 

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Que confusão


Quem nunca ficou no meio de uma grande confusão? Eu já!! Ave, Maria! No meio mesmooooo! Como foi? Bem, foi bem assim: Um celular ‘’voando pelo chão’’. Hummm.... Pensei. O que está acontecendo? Vi pessoas no banco sentadas e não levantaram. Hummmm? Que estranho! Pensei novamente. O que fiz?


Ora, ora, ora. Levantei e fui ver o que estava acontecendo! Pior era que estava acontecendo. Sim! O que? Duas acompanhantes brigando em uma enfermaria e a mãe (paciente),deitada, só observando.

Fui logo chegando e tentando colocar os ‘’pingos nos is’’. Elas nem aí com a ‘’minha pessoa’’, pois estavam ‘’inflamadas de raiva’’. O que fiz? Hummmm... Quando vi que o próximo ato seria ‘’puxada de cabelo’’ fiquei no meio das duas no momento que elas se aproximaram mais e levantaram as mãos para o ‘’ataque’’.

Daíiiiiiiii...Elas ficaram como a brincadeira da estátua com as mãos levantadas eu disse: "Aqui não é lugar! Não sei de quem e a razão, mas as duas vão ter que descer agora e não existe justificativa. Existe?" Elas disseram ‘’não’’, quase ao mesmo tempo. O rapaz da portaria chegou e o tumulto já estava formado na porta.

Enfim, falei com as duas no corredor fazendo as ponderações, tendo elas assumido que agiram pelo impulso. Ah! Quando saí, uma funcionária falou: "Doutora, a senhora é corajosa. Não ficou com medo de apanhar?’’.

Apanhar???? Nem pensei na hora. Até porque alguém tinha que resolver a situação naquele momento e os homens que estavam olhando não saíram do lugar.

Bjs,

Alda  de Cássia 

Arte: Vitória de Cássia 

*Imagem: Diário das Gêmeas Paraenses


domingo, 25 de junho de 2017

FILME: O voo


O filme de hoje, na nossa dica do Diário das Gêmeas Paraense é ’’O Voo’’, com o ator Denzel Washington em uma de suas melhores interpretações no cinema mundial.

Bom, tenho que ser sincera. Existem muitas cenas de consumo, de drogas desde a maconha ao álcool. O alcoolismo é pano de fundo neste filme que nos ‘’leva as alturas’’.

Quem gosta de aventura com suspense e drama... Aqui está a dica! Tendo Robert Zemeckis, como diretor premiado com o Oscar de ‘’’Forrest Gump’’, ‘’O contador de histórias’ e o ‘’Náufrago’’.

O piloto ‘’Whip’’, após pousar um avião com mais de 100 passageiros, é ovacionado pela mídia e também ‘’condenado’’ pelo seu ato de heroísmo.

Há uma investigação minuciosa, mostrando a anatomia de um acidente aéreo com o objetivo de descobrir se o piloto em uma manobra arriscada colocou em risco a vida dos passageiros ou os salvou de um acidente aéreo de grandes repercussões.

Que filmeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee!!!

Bjs,

Alda e Vitória 

sábado, 24 de junho de 2017

Livro: Chico de Daniel – Teatro de Mamulengos

Abraão Batitsa-Imagem: Cariri Revista 

Um livro onde o escritor Abraão Batista utilizou a literatura de cordel e a xilogravura para contar a história de Chico de Daniel. Ops! Quem era Chico de Daniel? Bem, um mamulengueiro que tinha o talento de encantar as pessoas com os seus bonecos.


O que é mamulengo? Segundo o nosso amigo "Google’’: "mamulengo é um fantoche (boneco) que ‘’encena sua vida’’ e que pode ser representado por um boneco e operador ou entre dois bonecos."

Neste livro, Cordel e xilogravura contam a história de um talentoso Chico de Daniel. Entre os ilustres personagens criados havia: ‘’Baltazar’’, ‘’Minelvina’’, ‘’João Redondo’’, entre outros que eram ‘’atores de verdade’’.

Chico de Daniel - Imagem: Overmundo 
Ele era uma criança no mundo que ele criou. Os mamulengos brincavam e encantavam com suas aventuras, até o dia que Chico de Daniel silenciou a todos.

Dica de hoje!

Bjs,

Alda de Cássia 





sexta-feira, 23 de junho de 2017

LIVRO: Como usar a literatura Infantil na sala de aula


Que livro bem interessante! Qual? "Como usar a literatura Infantil na sala de aula que faz parte da coleção: Como usar na sala de aula da escritora Maria Alice Faria e que foi publicado pela editora contexto.

Vou citar algumas reflexões da autora que é pesquisadora e ávida leitora de livros de ficção para crianças e jovens. Sua experiência é de mais de 20 anos tentando mostrar a importância do uso da literatura infantil em sala de aula.

Entre outras reflexões estão a necessidade da continuidade no curso de letras de disciplinas voltadas para a literatura para crianças e jovens na formação de futuros educadores, assim como dar importância de dar atenção às imagens que acompanham os livros, pois são ricamente ricas em simbolizações e poucos possuem um olhar mais didático.

Qual a abordagem do livro? Serão abordados 2 aspectos: A ilustração como elemento como constituinte do livros e suas diferentes funções; e a estrutura narrativa  como uma das ‘’ferramentas literárias’’.

Vamos lá!

Aqui algumas reflexões da pesquisadora:

ü ‘’ Na leitura comum, ‘’a relação do leitor com a obra é afetiva; ela se manifesta pela identificação do leitor com a história, com os temas tratados, com as personagens’’.

ü ‘’A leitura literária seria ‘’ a capacidade de perceber, para além do sentido imediato, para além do sentido implícito, o modo de construção de um livro’’.

ü É fundamental que o professor ou educador conheça o texto, imagem, antes de trabalhar com as crianças.

ü ‘’ A criança aprende a ler graças a imagem, porque  imagem exige leitura onde a linguagem já está impressa’’.

ü ‘’Pode-se trabalhar com a estrutura narrativa desde a pré-escola, contanto que se respeite o estágio de desenvolvimento da criança’’.

Dica de leitura!

Bjs,
Alda


*Imagem: Livraria Cultura