sábado, 19 de setembro de 2020

Super dica de filme:Ray

 Este  é o nome do filme: ’’Ray’’. Ele conta a história da vida do talentoso cantor e compositor americano Ray Charles Robison. A inspirada e extraordinária história da vida daquele que se consagrou nos anos 40 como um dos mais talentosos músicos.


Para quem dizia que ele era ‘’pobre coitado’’ ou ‘’negro cego’’, ele deu a resposta com belas canções que embalaram os sonhos de muitos jovens daquela época, onde havia segregação entre brancos e negros.

Começa com Ray tocando brilhantemente em seu piano. Depois, Ray resolve sair de sua cidade para ‘’ganhar o mundo’’, tendo a sua mãe alertado: ’’Lembre-se sempre do que me prometeu. Não deixe nada, nem ninguém, transformá-lo num aleijado’’.

Entre lampejo de lembranças do passado, o filme revela a vida deste grande astro musical. Sua infância, desde a perda da pessoa que muito amava, as drogas, traições, falsos amigos e, por fim, a luta contra as drogas.

Ao ficar cego, aos 7 anos de idade, ele ‘’teve que se virar’’ para crescer e sobreviver.Entre quedas e choros , ele aprendeu a ‘’andar com as suas próprias pernas’’ como queria a sua mãe.

Que filmeeeeee,amigos!! Música da ‘’melhor qualidade’’ do começo ao fim.Gostava do seu estilo, depois do filme tornei-me fã!!

Que belo filme, provando que nem a cegueira o impediu de realizar o seu sonho...Tocar suas músicas e tocar o coração das pessoas com as suas melodias.


ste é o nome do filme: ’’Ray’’. Ele conta a história da vida do talentoso cantor e compositor americano Ray Charles Robison. A inspirada e extraordinária história da vida daquele que se consagrou nos anos 40 como um dos mais talentosos músicos.


Para quem dizia que ele era ‘’pobre coitado’’ ou ‘’negro cego’’, ele deu a resposta com belas canções que embalaram os sonhos de muitos jovens daquela época, onde havia segregação entre brancos e negros.

Começa com Ray tocando brilhantemente em seu piano. Depois, Ray resolve sair de sua cidade para ‘’ganhar o mundo’’, tendo a sua mãe alertado: ’’Lembre-se sempre do que me prometeu. Não deixe nada, nem ninguém, transformá-lo num aleijado’’.

Entre lampejo de lembranças do passado, o filme revela a vida deste grande astro musical. Sua infância, desde a perda da pessoa que muito amava, as drogas, traições, falsos amigos e, por fim, a luta contra as drogas.

Ao ficar cego, aos 7 anos de idade, ele ‘’teve que se virar’’ para crescer e sobreviver.Entre quedas e choros , ele aprendeu a ‘’andar com as suas próprias pernas’’ como queria a sua mãe.

Que filmeeeeee,amigos!! Música da ‘’melhor qualidade’’ do começo ao fim.Gostava do seu estilo, depois do filme tornei-me fã!!

Que belo filme, provando que nem a cegueira o impediu de realizar o seu sonho...Tocar suas músicas e tocar o coração das pessoas com as suas melodias.

Nossa Indicação !

Vitória de Cássia 

quarta-feira, 16 de setembro de 2020

Indicação de super leitura: Autores e Ideias

 

Bem, se você pretende ser uma escritora ou um escritor, ele é excelente por causa da diversidade de escritores brasileiros que em 268 páginas mostram porque são tão consagrados no oficio de encantar os leitores com belas obras literárias.


Ah! Se você não pretende ser escritor(a), mas gostaria de conhecer um pouco do universo literário deles e saber como surgiu o nome de seus livros, quais os livros recomendados, um livro marcante, indicações de livros e até quais os livros que já leram ou estão lendo então, este é um livro de leitura obrigatória.

Qual o livro? Pois bem: ‘’Autores e Ideias’’, da jornalista Mona Dorf, e que foi lançado pela editora Benvira. O livro é resultado do seu trabalho de entrevistadora, que durante os 4 anos em que comandou o Programa Letra @Leituras fez mais de 500 entrevistas com vários escritores.

Poxa, que pena que não poderei colocar os pensamentos de alguns dos grandes escritores brasileiros por causa dos direitos autorais, porém vou citar com as minhas palavras o que o escritor, quadrinista, artista gráfico, roteirista e também ator Lourenço Mutarelli respondeu diante da pergunta: Definição de um bom livro?

Bem, ele disse que era aquele que até na última página fosse capaz de fazer você ser uma pessoa diferente daquela que iniciou a leitura da primeira página, ou seja, alguma coisa deverá ter mudado.

Concordo plenamente e este sempre foi o meu propósito quando publiquei o primeiro livro de contos:’’Contos Terapêuticos: À Procura de Respostas’’ e deverá ser com os próximos livros que irei publicar.

Sabe por quê? Porque, desde que me apaixonei pela leitura de bons livros, eu nunca terminava o livro sendo a mesma pessoa. Sim, alguns autores me faziam ser a protagonista da história e eu terminava a leitura sendo uma princesa ou um dragão.(rs)

Enfim, até digo que sou um pouco dos personagens dos contos que criei desde a borracha de baixo do berço do Paulo do conto ‘’A borracha’’, até uma das vogais do conto "A fuga das vogais’’.

Mega indicação de leitura!

Fantástico!!!!

Alda de Cássia 

terça-feira, 15 de setembro de 2020

Super indicação de leitura - Os grandes filósofos que fracassaram no amor

 


Hoje, vou falar sobre um livro muito interessante chamado: ’’Os grandes filósofos que fracassaram no amor’’ de Andrew, Shaffer da editora Leya.



São 37 casos de amor de grandes filósofos e intelectuais de todos os tempos, mostrando sim, que ‘’sofrer por amor’’, ‘’decepção de amor’’ e ‘’desencanto do amor’’ sempre ocorreu e não é muito diferente do que acontece hoje.


Segundo o autor, o grande filósofo Nitzche, que ‘’fazia tanto sucesso entre as mulheres de sua época _apesar de certas afirmações misóginas, foi rejeitado todas às vezes em que se apaixonou’’.


Filósofos como: Sócrates, Platão, Diógenes, Aristóteles, Santo Agostinho de Hipona, Arthur Shopenhauer, entre outros ainda pouco conhecidos por nós, estão em breves relatos; relatos acessíveis a todos os leitores que ainda não tiveram a oportunidade de conhecê-los.


Fui buscar o meu livro de filosofia para poder tornar esta conversa mais esclarecedora possível. Filosofia segundo Jenny Teichman e Katherine C.Evans no livro: ’’ Filosofia-Um guia para iniciantes’’ é ‘’o estudo de problemas fundamentais, abstratos e muito gerais."

Estes dizem respeito á natureza da existência, do conhecimento, da moralidade, da razão e do propósito humano."


Não esqueçam que a origem da palavra "filosofia" (do grego) é uma composição de duas palavras: philos (φίλος) e sophia (σοφία).


Pois bem, vou falar de um filósofo pouco conhecido, mas que acredito que vai acrescentar muito à nossa conversa de hoje. 


Lembre-se que, vamos filosofar um pouquinho, mas creio que vocês vão amar filosofia tanto quanto eu.


Vamos falar de Soren Kierkegaard, que nasceu em 1913. Um de seus pensamentos que inicia a sua biografia neste livro é: ’’O amor é tudo; dá tudo e tira tudo’’. Soren foi chamado de ‘’Dinamarquês do Existencialismo’’.


Aos 24 anos de idade, ele apaixonou-se por uma moça de 15 anos, Regine Olsen, e viveu um período conturbado.


Como era melancólico e mal humorado, ele escreveu no seu diário: ’’Meu Deus, porque esses sentimentos despertam exatamente agora_ Oh, como me sinto solitário!’’.


Após ter esperado Regine  Oslsen completar  18 anos de idade, ele declarou o seu amor.Após a sua segunda tentativa, ela o aceitou.Ficaram juntos por dois meses. Porém, pela instabilidade emocional de Soren, ele terminou com ela.


Só que Regine não aceitou o término. E ficaram juntos por mais alguns meses e após completar 13 meses chegou ao fim o relacionamento, já que Soren queria poupá-la da sua angústia existencial. 


Cito este texto: ’’Aquele que está apaixonado esquece a si mesmo e a seu sofrimento para pensar no outro; esquece toda tristeza para pensar na do outro; esquece o que ele mesmo perde para considerar as perdas da outra pessoa; esquece as próprias vantagens para pensar com amor nas do outro- realmente. Tal pessoa não é esquecida. Há alguém que está pensando nela: Deus, lá do céu’’. 


Alda de Cássia 

segunda-feira, 14 de setembro de 2020

‘’Ser poeta é ser mais alto, é ser maior do que os homens...''

 

Imagem: Google

 Penso que...

O poeta ‘’sai de si‘’ e encontra nas palavras asas para voar. Um voo em direção ao horizonte, mas sem hora para chegar. Até porque, o poeta não pode se limitar em seu voo, caso contrário ficara preso á realidade e não ao imaginário.

O poeta sonha alto, sonha sem se preocupar se será criticado por mentes limitadas e presas a preconceitos. O poeta dá vida, em terras semi-áridas, coloca cor no preto e branco assim como dá aroma marcante no mundo confuso de tantos cheiros.

Mas, o poeta também sabe que nem todos vão compreendê-lo nos seus devaneios, pois alguns poucos vão imaginá-lo como alguém sofrido de amor e que renuncia à normalidade em nome dos seus ‘’insights’’.

Enfim, a última estrofe é de uma identidade própria do ‘’Ser Poeta’’, que é o exagero de sentimentos propositais. Pois o poeta ama cada momento e o transforma em palavras, que se eternizam como o primeiro beijo roubado em sua amada.


‘’Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
do que os homens, morder como quem beija
É ser mendigo e dar como quem seja
É ser rei do reino de aquém e de além dor

É ter de mil desejos o explendor
E não saber sequer que se deseja
É ter ca dentro um astro que flameja
É ter garras e asas de condor...

É ter fome, é ter sede de infinito
Por essas manhãs d'ouro e de cetim
É condensar o mundo num só grito...


E é amar-te assim, perdidamente
É seres alma e sangue e vida em mim
E dizê-lo cantando, a toda a gente...
’’
,

Alda de Cássia 

domingo, 13 de setembro de 2020

Sobre os Contos de Fadas

 


Hoje, vou falar sobre os ‘’contos infantis’’e, ‘’cá entre nós’’, quem não se lembra do seu tempo de infância onde os contos de fadas povoavam o nosso universo literário?


O certo é que, nenhum conto infantil foi escrito por simples publicação e sim sempre existe uma mensagem sublimar ‘’nas entrelinhas’’. Não é verdade? Um exemplo: Vamos lá! Quem já leu o conto ‘’Os três porquinhos’’? Pois é, foi divulgado pelo escritor australiano Jacobs. Qual a mensagem a ser transmitida para as crianças? Será que é a união que deve existir entre irmãos, até porque eles lutam juntos para escapar do lobo e um defende o outro?

Que interessante era ler alguns contos que falavam de ‘’amor’’. Sim, como ‘’Branca de Neve’’, a ‘’Gata Borralheira’’ e até a ‘’Rapuzel’’, onde sempre havia uma ‘’sanguinolenta’’ fazendo de tudo para atrapalhar e impedir o dito ‘’Viveram felizes para sempre!’’.

Lá vai ‘’de cara’’ uma pergunta: Na vida real não existem pessoas assim? Sim, que fazem tudo para atrapalhar o romance alheio? Inventando supostas traições ou colocando ‘’minhocas’’ após os DR´s (discussão de relacionamentos) entre o casal?

E super-heróis? Eles saem do mundo imaginário e vão para o mundo real. Como? São aqueles onde homens, mulheres e até crianças salvam a vida do outro em perigo.

Quem não se lembra daquele história que viralizou nas redes sociais quando uma criança tirou o armário de cima do irmão. Pois é,alguns disseram que foi ‘’puro instinto’’, outros ‘’milagre’’, mas independente do sentido, foi unânime a fala ‘’Ele foi um herói’’. E de onde veio essa comparação?

Diria de adultos, que leram contos infantis onde o ‘’Batman e Robin’’ ou a ‘’Mulher maravilha’’ salvavam um inocente das mãos de um suposto ‘’Coringa’’. Não é mesmo?

O que desejo deixar como recado, é que precisamos favorecer e oportunizar nossas crianças a este rico aprendizado, até porque quem não sabe, a utilização de contos infantis enriquece o vocabulário das crianças, assim como proporciona uma maior concentração, tolerância e memorização, além de permitir a criatividade, aumento do vinculo pais e filhos e o incentivo à leitura.

Enfim,sou atualmente uma contadora de histórias ainda ‘’baby’’, mas a arte de contar histórias para crianças têm despertado em mim o prazer da leitura infantil, além de me tirar da zona de conforto da criatividade adormecida.


Alda de Cássia

 *Imagem: Obvius c

sábado, 12 de setembro de 2020

’’Ele vai sentir frio pra onde vai. Coloquem isso no meu filho’’...

 

Vindo do túnel do tempo...


Lembro-me, que assim que me formei, fui fazer estágio supervisionado em Terapia Ocupacional, em um hospital de referência ao tratamento de câncer e, nesse hospital, permaneci por cerca de sete meses, até conseguir um emprego de carteira assinada. 


Trabalhava na área de Pediatria.  Atendia as crianças do setor de Oncologia que faziam quimioterapia. Apesar de ser um estágio supervisionado, evoluía nos prontuários, como terapeuta ocupacional.

Quando um dia, uma das mães tendo que ir até a padaria, solicitou que eu ficasse com o filho dela de quatro anos de idade, prontamente aceitei. E ela foi!

Só que a criança passou mal. E, mesmo com todas as manobras de reanimação, ela faleceu. Fiquei tensa. Era minha primeira experiência com a morte de um paciente e, o pior, tendo que amparar a mãe após o recebimento da notícia.

Nesse dia, a psicóloga havia faltado o plantão. Então me preparei.  Apesar da tristeza, naquela hora eu era a profissional e teria que agir com a razão e não com a emoção. Teria que dar suporte terapêutico.

Pois bem, ela chegou. E após receber a notícia ficou em ‘’choque’’. Levei-a até a enfermaria, pois  ela teria que pegar uma roupa para colocar na criança.

De repente, ela pegou ‘’um par de meias’’ e disse: ’’Ele vai sentir frio pra onde vai.  Coloquem isso no meu filho’’. Eu e a enfermeira lagrimamos, mas fizemos o que ela havia pedido.

A notícia da morte é sempre ‘’dolorosa’’ para quem a recebe, mas, para uma mãe, ela é ‘’devastadora’’. Mesmo assim, a mãe nunca se esquece de proteger o seu filho, nem quando ele já morreu... Mãe é mãe!!



Alda de Cássia 

*Imagem Google: 

quinta-feira, 10 de setembro de 2020

O que é empreendedorismo?

 


"Análise histórica - A palavra empreendedor (entrepreneur)surgiu na França por volta dos séculos XVII e XVIII, com o objetivo de designar aquelas pessoas ousadas que estimulavam o progresso econômico, mediante novas e melhores formas de agir.
Entretanto, foi o economista francês Jean-Baptiste Say, que no início do século XIX conceituou o empreendedor como o indivíduo capaz de mover recursos econômicos de uma área de baixa para outra de maior produtividade e retorno. Mais tarde, o austríaco Joseph Schumpeter, um dos mais importantes economistas do século XX que definiria esse indivíduo como o que reforma ou   revoluciona o processo “criativo-destrutivo” do capitalismo, por meio do desenvolvimento de nova tecnologia ou do aprimoramento de uma antiga – o real papel da inovação. Esses indivíduos são os agentes de mudança na economia.

Posteriormente, Peter Ferdinand Drucker, considerado “o pai da administração moderna”, é que amplia a definição proposta por Jean-Baptiste Say, descrevendo os empreendedores como aqueles que aproveitam as oportunidades para criar as mudanças. Os empreendedores não devem se limitar aos seus próprios talentos pessoais e intelectuais para levar a cabo o ato de empreender, mas mobilizar recursos externos, valorizando a interdisciplinaridade do conhecimento e da experiência, para alcançar seus objetivos.

O conceito de empreendedorismo está também muito relacionado aos pioneiros da alta tecnologia do Vale do Silício, na Califórnia. Ainda nos EUA, o Babson College tornou-se um dos mais importantes pólos de dinamização do espírito empreendedor com enfoque no ensino de empreendedorismo na graduação e pós-graduação, com base na valorização da oportunidade e da superação de obstáculos, conectando teoria com a prática, introduzindo a educação para o empreendedorismo através do currículo e das atividades extracurriculares. É notória a atual ênfase dada ao empreendedorismo e a inovação como temas centrais nas melhores Universidades Norte-Americanas.

Empreendedor é o termo utilizado para qualificar, ou especificar, principalmente, aquele indivíduo que detém uma forma especial, inovadora, de   se dedicar às atividades de organização, administração, execução; principalmente na geração de riquezas, na transformação de conhecimentos e bens em novos produtos – mercadorias ou serviços; gerando um novo método com o seu próprio conhecimento. É o profissional inovador que modifica, com sua forma de agir, qualquer área do conhecimento humano. Também é utilizado no cenário econômico – para designar o fundador de uma empresa ou entidade, aquele que construiu tudo a duras custas, criando o que ainda não existia."

Fonte: https://sites.google.com/a/biomassa.eq.ufrn.br/empreendedorismo-e-inovacao/


 *Pesquisa par o blog:Vitória de Cássia